V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Biomedicina no combate à tuberculose

A programação realizada por alunos do curso representa uma ação comemorativa aos 25 anos e marca o dia mundial de combate à tuberculose.

às 18h19
Na oportunidade, comerciantes e consumidores que trafegam pelas dependências do mercado do Conjunto Augusto Franco tomaram conhecimento sobre como prevenir ou mesmo tratar a doença.
Os alunos  participam da ação no mercado
Os alunos participam da ação no mercado
A acadêmica Iracema Nascimento
Compartilhe:

Com a distribuição de folhetos explicativos e as devidas orientações sobre os riscos e as consequências de tratamentos contra a tuberculose interrompidos, alunos do 3º período de Biomedicina, acompanhados de professores, desenvolveram uma ação voltada para conscientizar a população sobre os riscos da doença.

Responsável pela disciplina Microbiologia Básica, a professora Lídia Maria de Amorim Costa Gaspar salienta que seus alunos comemoram o dia mundial de combate à tuberculose orientando a população sobre a doença, os sintomas e de que forma ela pode ser detectada.

“É uma doença que tem cura, porém, os índices da sua detecção se elevam a cada dia”, lembra a professora acrescentando que se trata de uma patologia cujos índices deveriam ser mais baixos por conta do tratamento que é oferecido.

Uma tosse prolongada, emagrecimento repentino, sudorese noturna e fadiga são indicativos da patologia clássica. O indicado é a pessoa procurar um posto de saúde mais próximo para que seja realizada uma avaliação dos sintomas clínicos e análise do material biológico.

A tuberculose é uma doença que pode ser transmitida por meio do ar. O paciente deve se submeter ao tratamento completo, que é de seis meses. Sua interrupção provoca a resistência do micro-organismo, dificultando a cura.

Iracema Nascimento de Oliveira é aluna do 3º período e considera importante interceder junto à população, conscientizando-a sobre os riscos da doença. “A população precisa saber que há um índice elevado de casos de tuberculose no Brasil”, opina. Ela reconhece a aproximação da universidade com a comunidade por meio de ações como a que foi realizada no mercado do Conjunto Augusto Franco.

Compartilhe: