V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Mestrado em Direitos Humanos é diferencial para bacharéis


às 21h13
Compartilhe:

O curso de Direito tem o maior número de estudantes universitários do Brasil, conforme dados oficiais Inep retirados do Censo da Educação Superior de 2016. Nesse mercado competitivo e cada vez mais inflado, programas de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) são diferenciais para as vagas de trabalho. A Universidade Tiradentes oferta o programa de stricto sensu com 20 vagas e duas linhas de Pesquisa: Direitos Humanos na Sociedade e Direitos Humanos, Novas Tecnologias e Desenvolvimento Sustentável.

Com nota 4 na Capes, o mestrado de Direitos Humanos é um caminho tanto para o profissional que almeja a carreira acadêmica como para os profissionais da área que atuam com minorias, como destacou a professora e coordenadora do mestrado de Direitos Humanos, Gabriela Rebouças.

“O mestrado em Direitos Humanos é importante na formação do profissional do Direito. Tanto para os que almejam a carreira acadêmica quanto para aqueles que, no seu exercício profissional, lidam e trabalham diretamente com as minorias, com os direitos humanos em geral, que envolvem o ambiente de trabalho, envolvem questões penais, questões na esfera cível, família, criança e adolescente, meio ambiente também. Além disso, ele também está aberto para a qualificação profissional de outras áreas que não os exclusivamente formados em Direito”, disse, lembrando que esse programa de stricto sensu complementa formações de outras profissões.

“As áreas afins que queiram trabalhar com Direito Humanos, como Jornalismo, Psicologia, Relações Internacionais, também podem vir buscar qualificação em nível de mercado no nosso programa. O importante é que o aluno tenha um projeto de pesquisa e tenha a intenção de estudar na interface de sua área do saber com direitos humanos”.

Ela explica que a Universidade busca, permanentemente, aprimorar o curso para, no futuro, ofertar doutorado na área. “O nosso curso abriu sua primeira turma em 2013 e, no último ciclo avaliativo, subimos de nota – da nota 3, que é a nota de partida do sistema de mestrado, para o nível 4. Nós, portanto, hoje somos nota 4 e essa nota nos habilita, por exemplo, a pleitear um doutorado para o programa. Estamos num caminho em busca de qualidade, de implementação de qualidade e de crescimento dos nossos indicadores, de forma que estamos perseguindo alcançar, como outros programas na nossa universidade, as maiores notas no sistema”.

Compartilhe: