V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Acadêmicos da Unit promovem tarde de lazer para crianças do Gacc

Atividades recreativas acompanhadas de orientação nutricional e distribuição de lanches alegram crianças com câncer

às 21h45
A iniciativa é da coordenação do curso de Farmácia, através da disciplina Prática Extensionista, ministrada pela professora Carla Porto. Mas, a adesão foi de alunos dos cursos de Enfermagem, Nutrição e Engenharia e a tarde festiva realizada numa das quadras cobertas do complexo desportivo da Universidade Tiradentes tomou uma proporção mediante a espontaneidade dos participantes.
A pintura e o interesse da criançada
A pintura e o interesse da criançada
A coordenadora de Farmácia, professora Ana Cristina, ladeada por todos os alunos
Parte do grupo que participou da recreação
Mães e crianças envolvidas com a ação
O teatro educativo
Aluna de Enfermagem interage todo o tempo com as crinaças
Compartilhe:

Logo as crianças que recebem atenção do Grupo de Assistência a Criança com Câncer se envolveram com as brincadeiras e até com a dramatização em que alunos na pele de personagens induzem às crianças a optar por uma alimentação saudável.

No 5º período de Engenharia Civil Caio Costa de Oliveira considera a oportunidade de interagir com as crianças, muito importante. “É muito gratificante poder me sentir útil”, pondera o acadêmico.

A pedagoga do projeto Aprender Brincando desenvolvido pelo Grupo de Assistência a Criança, Maria Isabel Santos Aquino, vê na ação desenvolvida pelos acadêmicos da Unit uma oportunidade de as crianças poderem interagir e socializar. “Essas atividades desenvolvem a coordenação motora das crianças e também a parte cognitiva” reconhece.

Viviane Santos Lima é mãe de uma única criança. Com apenas seis anos, sua filha tem câncer e recebe toda assistência do Gacc. Para ela, a interação entre as instituições tem um significado especial. “Essa tarde recreativa é muito importante para todas as crianças que fazem tratamento e que necessitam desse tipo de apoio para que cresçam vendo que, apesar de toda a dificuldade, conseguem interagir dentro da sociedade”.

“A gente tenta fazer com que os nossos alunos enxerguem a importância da ação extencionista, sendo que esta é baseada na ajuda à comunidade como forma de incluir e de mostrar que nós também temos responsabilidade social”, afirma a coordenadora do curso de Farmácia, professora Ana Cristina Ferreira.

Compartilhe: