V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Campus Propriá realiza Semana da Consciência Negra


às 16h53
Cartaz do evento em Propriá
Cartaz do evento em Propriá
Compartilhe:

Segue até quinta-feira, 20, a Semana da Consciência Negra no Campus Propriá da Universidade Tiradentes – Unit. O evento é organizado pelo curso de Serviço Social e traz discussões feitas em palestras e seminários acerca de temáticas como o preconceito e a realidade das comunidades quilombolas.

A abertura do evento contou com uma palestra proferida pela professora Kátia Araújo, com o tema: “Consciência Negra x Inconsciência Branca, na qual os alunos puderam debater o combate ao preconceito racial. Para a professora Pricylla Kariny, esse posicionamento marcado no evento, é estimulado entre os alunos de Serviço Social na Unit. “o curso não foge aos seus ensinamentos conforme Código de Ética e Lei de Regulamentação da Profissão, quando se compromete pela luta incessante dos direitos sociais e sensibilização contra o preconceito racial”, considera.

Os alunos também participam de uma mostra que traz informações sobre líderes mundiais que lutaram pela igualdade racial. Caio Bomfim, estudante do 4º período, foi um dos que conheceram um pouco sobre a história dessas personalidades. “A exposição de Líderes Negros no mundo nos leva a conhecer muitos homens e mulheres que desde muito cedo se envolveram com causas nobres. Atividades como estas nos fazem viajar através da História do Brasil e do Mundo, conhecendo mais sobre os valores do homem e da mulher negros”.

Ainda está prevista a realização de um seminário sobre as comunidades quilombolas, além da exibição do filme “Amistad” e do documentário “O almirante negro”. Para Adelina Amélia, diretora do Campus Propriá e responsável pela coordenação do curso de Serviço Social na cidade, o evento é uma forma de unir pesquisa, ensino e extensão para que sejam feitas reflexões acerca da conquista de direitos. “Entendendo ser o Serviço Social uma profissão que luta pela igualdade de direitos e contra a desigualdade racial, étnica e religiosa, não poderíamos ficar de fora deste 20 de novembro quando foi cunhado de Dia da Consciência Negra”, explica.

Compartilhe: