V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Acadêmica de Biomedicina é aprovada em programa no exterior

Carolina Meireles foi selecionada no BBI Solidário, que disponibiliza bolsas para um programa de MBA em Health 4.0.

às 10h54
Compartilhe:

A acadêmica do 7º período do curso de Biomedicina da Universidade Tiradentes (Unit), Carolina Meireles, foi aprovada na campanha do BBI Solidário para o programa de MBA Health 4.0. O projeto foi idealizado por Gustavo Teixeira, médico brasileiro radicado em Miami, uma das maiores referências em psiquiatria da América Latina, e por Rodrigo Lang, do Instituto de Engenharia de Gestão, ambos fundadores do Business Behavior Institute of Chicago (BBI of Chicago). 

“Durante diversas conversas, sempre percebi a importância de ter uma visão mais holística da saúde. Às vezes, ficamos muito restritos a uma linha de pensamento quando, na verdade, o mundo é plural. Na matemática, por exemplo, os resultados são iguais no mundo todo, porém, a forma como se chega aos mesmos resultados pode variar, e a mesma coisa se aplica à saúde”, declara Carolina. 

“Uma das poucas coisas cujo desenvolvimento foi interessante durante a pandemia foi o aumento da produção e acessibilidade de conteúdos educacionais on-line, sem sair de casa. Com isso, pude assistir a aulas da PUC, Harvard, ONU, MIT e participar de reuniões com alunos da UCI. A própria Unit liberou vários cursos on-line gratuitos. Com a procura por oportunidades internacionais, surgiu a chance da bolsa no BBI of Chicago para fazer um MBA em Gestão Executiva em Saúde”, acrescenta.   

O programa disponibilizou apenas 80 vagas para o Brasil e a acadêmica foi uma das selecionadas. “O processo seletivo foi uma antítese para mim. Em teoria, era só enviar um depoimento contando minha história e por que deveria ser um dos escolhidos. Porém, achei bem difícil e quase desisti. Acabei enviando trinta minutos depois do horário programado e pensei que não iria passar, mas dois dias depois recebi a mensagem de aprovação e um áudio do próprio sócio-fundador, Rodrigo Lang, dizendo que fui uma das últimas a enviar o depoimento e uma das primeiras a ser aprovada”, comenta a futura biomédica. 

O curso tem duração de até dois anos, por meio de aulas remotas com conteúdos em inglês e português. “Assim que me formar em Biomedicina posso fazer o Trabalho de Conclusão de Curso deles e pegar o meu diploma de pós-graduação no Brasil. E, ainda, é válido como certificado internacional de extensão pela Business Behavior Institute of Chicago. Além disso, pretendo seguir até o doutorado, quem sabe até fazer uma segunda graduação também”, destaca. 

“É um desafio novo e eu estou muito feliz por isso. É uma porta que se abre e pode destrancar várias outras. Só posso dizer que sou muito grata a todas as oportunidades que foram dadas a mim e que tentarei fazer o melhor sempre”, enfatiza Carolina.

Para a acadêmica, o curso de Biomedicina da Unit contribuiu muito para esta conquista. “Durante a graduação, tive sorte de conhecer pessoas maravilhosas, amigos, professores e orientadores que também são fontes de inspiração para mim. Acabei ficando fascinada pela área da pesquisa, sobretudo a neurociência, onde fui presidente da Liga Acadêmica Sergipana de Neurociências (Lasenc)”, conta. 

“Também participei da Iniciação Científica no Laboratório de Morfologia e Patologia Experimental (LMPE), sob orientação do grupo incrível da professora Dra. Margarete Zanardo, onde aprendi coisas que nunca imaginei aprender. Recentemente, durante um estágio, tive a oportunidade de acompanhar uma consultoria de qualidade e também me identifiquei bastante. Abriu meus olhos para outras possibilidades além da pesquisa e docência. Dessa forma, fui construindo o meu pensamento sobre que tipo de profissional quero ser”, finaliza.

Veja também: Biomedicina: em meio à pandemia, área continua em alta.

Compartilhe: