V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Como é feita a fabricação de próteses dentárias


às 12h12
O uso desses acessórios deve ser recomendado por um dentista especialista
O período inicial com a nova prótese requer paciência e persistência, pois muita gente tem dificuldade de adaptação (Freepik)
O período inicial com a nova prótese requer paciência e persistência, pois muita gente tem dificuldade de adaptação (Freepik)
Compartilhe:

Algumas pessoas precisarão fazer uso de próteses dentárias. A perda de um ou mais dentes é um desconforto não apenas por conta da estética, mas também porque pode afetar desde a mastigação até a fala. Próteses podem ser do modelo total ou parcial, fixas ou removíveis, o importante é buscar orientação do profissional especialista para descobrir com qual se adequa melhor.

O benefício que estes acessórios trazem para a saúde e o bem-estar individual já é algo bem conhecido. Apesar do maior acesso à informação sobre a saúde bucal, ainda é grande o número de pessoas que perdem a dentição. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) 50% da população adulta tem apenas 20 ou menos dentes funcionais, enquanto nos idosos o índice chega aos 70%. 

Para essas pessoas, a alternativa é a utilização das próteses dentárias, que se tornaram mais acessíveis, confortáveis e funcionais ao longo do tempo. Seu uso deve ser recomendado por um dentista especialista no assunto ou um cirurgião-dentista, que fará a orientação e indicará o tipo mais adequado a cada pessoa. Posteriormente se encomenda a confecção do modelo escolhido em um laboratório protético.

Confecção

A primeira etapa para a confecção da prótese, depois de escolhida juntamente com o profissional odontológico, será a moldagem. O processo é necessário para copiar de forma exata a cavidade oral de cada indivíduo. Em um segundo momento será realizada a prova dos modelos, verificando sua adequação e também para definir a borda da prótese.

Existe ainda mais duas provas feitas em cera, que servem para verificar como ocorre a oclusão (mordida) do paciente e também os demais elementos dentários, analisando novamente a oclusão, a estética e a função geral da prótese. Depois dessas provas e análise desta etapa, a prótese é enviada de volta ao laboratório e acrilizada. Na última fase o acessório é levado à boca do paciente.

Adaptação

O período inicial com a nova prótese requer paciência e persistência, pois muita gente tem dificuldade de adaptação. A visita ao dentista é importante inclusive por esse motivo, mas não somente. A prótese vai se ajustando ao paciente e reparos devem ser feitos regularmente pelo especialista. É necessário retornar ao consultório para consultas de revisão, inclusive para quem tem o modelo total e muitas vezes acredita que não vai mais precisar ver o dentista. 

Além disso, com o tempo a prótese sofre desajustes na boca, também pode sofrer algum dano e precisar de reparos. É essencial também mantê-la sempre bem cuidada e higienizada, para preservação da saúde bucal. Para sua limpeza, ela deve ser retirada da boca e limpa com uma escova de cerdas médias ou duras e creme dental não abrasivo. Vale destacar também que sua vida útil é em média de quatro anos de uso e após esse período, uma nova prótese deverá ser confeccionada. 

Compartilhe: