V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Fevereiro Laranja: Campanha destaca doação de medula óssea

Para ser doador de medula óssea, é necessário ter boas condições de saúde, ter entre 18 a 55 anos e efetuar cadastro em hemocentro

às 17h31
Fevereiro Laranja
Fevereiro Laranja
Compartilhe:

O segundo mês do ano é dedicado à campanha intitulada ‘Fevereiro Laranja’. Seu objetivo é alertar a população sobre a leucemia e a importância da doação de medula óssea para os pacientes diagnosticados. Atualmente, a doença ocupa a nona posição nos tipos de câncer mais comuns entre homens e a 11ª em mulheres. No Brasil, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (InCA), estima-se que 10 mil novos casos de leucemia sejam diagnosticados por ano. 

A Leucemia é um tipo de câncer que causa o crescimento acelerado e anormal nas células do sangue, responsáveis pela defesa do organismo, os leucócitos. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado aumentam as chances de cura, por isso, é necessário ficar alerta para sintomas como anemia, cansaço e fadiga, queda de imunidade, baixa na contagem de plaquetas, infecção, febre, hematomas e sangramentos espontâneos.

O diagnóstico é feito por especialistas através de exames laboratoriais, como o hemograma. Uma das formas de tratamento é o transplante de medula óssea, que consiste na substituição de uma medula óssea doente, ou deficitária, por células normais da medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula saudável.

É na medula óssea que se localizam as células-tronco hematopoéticas, responsáveis pela geração de todo o sangue (glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). Essas são as células substituídas durante o transplante. Para se tornar um doador, é necessário ter entre 18 e 55 anos, estar com boas condições de saúde, não ter tido ou estar em tratamento de câncer,  ou ter doenças no sangue, sistema imunológico ou doenças infecciosas e se cadastrar no hemocentro mais próximo.

Ao fazer o cadastro o doador faz a coleta de 5 ml de sangue para testes. Os dados do doador são inseridos no cadastro do Registro de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME) e, sempre que surgir um novo paciente, a compatibilidade será verificada. Uma vez confirmada, o doador será consultado para decidir quanto à doação. O transplante de medula óssea é um procedimento seguro, realizado em ambiente cirúrgico, feito sob anestesia geral, e requer internação de, no mínimo, 24 horas.

No Brasil, são 70 centros para transplantes de medula óssea. Destes, 30 realizam transplantes com doadores não aparentados e estão distribuídos por oito estados brasileiros e no Distrito Federal.

Leia Mais: Ingestão de proteínas pode ser aliada durante tratamento oncológico

Compartilhe: