V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Iniciação Científica: estudante participa de estudo sobre qualidade da água

O projeto de Iniciação Científica sobre o índice de qualidade da água para consumo humano é desenvolvido em comunidades quilombolas.

às 12h14
Compartilhe:

A Iniciação Científica é um programa institucional que permite introduzir os estudantes de graduação na pesquisa científica. Somente em 2021 na Universidade Tiradentes, foram desenvolvidos mais de 130 projetos, entre eles um estudo sobre o índice de qualidade de água aplicado à água de consumo humano, com a participação da acadêmica do 9º período de Engenharia Química, Pamela Bortoluzzi.

“O projeto busca avaliar a qualidade de água para o consumo humano em comunidades quilombolas de Sergipe por meio de um Índice de Qualidade das Águas (IQA), que é obtido a partir de parâmetros físico-químicos e microbiológicos”, explica a aluna. Vinculado ao Laboratório de Estudos Biológicos e Produtos Naturais (LBPN), desenvolvido sob a orientação da Dra. Maria Nogueira Marques, professora da Unit e pesquisadora do Instituto de Tecnologia e Pesquisa (ITP).

Transferida de outra instituição, Pamela descobriu um novo mundo na Unit. “Quando eu entrei na universidade foi por transferência externa e eu estava procurando atividades para realizar na minha área, então fui em busca de uma oportunidade e foi quando a Iniciação Científica se apresentou pra mim graças a minha mentora e à coordenação do meu curso. A Unit foi quem me apresentou para esse mundo, e só como estudante da instituição eu tive essa oportunidade de atuar com diversos profissionais excepcionais em laboratórios de ponta.” , conta.

“A pesquisa foi capaz de abrir meus olhos para outras áreas, pois o estudo é sempre multidisciplinar, então sempre atuamos com estudantes de outros cursos. Além disso, aprendemos a lidar com o gerenciamento do nosso tempo, das nossas atividades e como um todo isso nos faz ter uma vivência muito enriquecedora, que com toda certeza fez diferença em mim como futura profissional”, afirma a estudante.

“Minha experiência foi ótima, eu aprendi muito sobre o mundo acadêmico, análises químicas e ambientais e, principalmente, pude aperfeiçoar muito minha escrita acadêmica, o que me proporcionou escrever trabalhos para eventos de nível nacional e artigos de nível internacional, tudo isso de maneira a engrandecer meu currículo”, acrescenta.

Após concluir a graduação, a acadêmica pretende atuar na área industrial para poder aplicar todo o conhecimento adquirido no curso de Engenharia Química em um novo ambiente. “Mas o mestrado é com certeza algo que também penso em realizar futuramente”, revela Bortoluzzi.

 

Leia também: Da Iniciação Científica ao pós-doutoramento em Engenharia de Processos

Compartilhe: