V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Reitor da Unit participa de lançamento do Programa Investe Turismo

Além do professor Jouberto Uchôa, o superintendente geral do Grupo Tiradentes, professor doutor Saumíneo Nascimento proferiu palestra sobre os desafios do turismo

às 14h27
Compartilhe:

O turismo de Sergipe ganhou um forte aliado na última segunda-feira, 19. O Sebrae Nacional, o Ministério do Turismo, a Empresa Brasileira de Turismo – Embratur – e o Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Turismo, lançaram o Programa Investe Turismo. A iniciativa visa acelerar o desenvolvimento, gerar empregos, aumentar a competitividade e fomentar o investimento público-privado na oferta turística na rota Aracaju- Canindé.

“Sergipe é um estado com muitas peculiaridades e merece ser melhor estruturado. A ideia é estruturar uma rota para gerar renda. Turismo é emprego, renda, economia. Faremos diagnósticos situacionais para estabelecer um plano de governança para melhor destinar os recursos”, comenta o secretário executivo adjunto do Ministério do Turismo, Higino Brito Vieira.

“Nós temos belezas a serem mostradas e precisamos atuar dentro e fora do estado de Sergipe para atrair os turistas. É preciso profissionalizar toda a cadeia e para isso é importante unir forças. O novo momento só vai acontecer se a gente sentar o tempo todo todos os lados que compõem a cadeia do turismo”, enfatiza o governador do estado, Belivaldo Chagas.

O programa vai garantir, até fevereiro de 2020, a realização de diversas ações para ampliar o acesso dos microempreendedores individuais e proprietários de micro e pequenas empresas às ferramentas de inovação e melhorar a oferta e promoção de produtos e serviços, elevando assim a competitividade dos empreendimentos que atuam no setor.

“São 30 rotas no Brasil com 500 milhões investidos no total, depois de quatro anos de programa. No início, serão 200 milhões de reais investidos para estruturar e promover o turismo no país. Aqui em Sergipe, teremos a rota, no primeiro momento, Aracaju e Cânion do São Francisco e as cidades são, Aracaju, São Cristóvão, Laranjeiras, Itabaiana, Estância e Canindé do São Francisco”, declara o presidente da Embratur, Gilson Machado.

“O PIB Brasileiro cresceu 1,1% em 2018, enquanto o PIB do turismo teve um aumento de 3,1% no mesmo período. Este ano, a atividade turística até junho já cresceu 2,6%. Não existe recuperação econômica do Nordeste sem passar pelo Turismo”, acrescenta Gilson.

“Esta é a hora de todos darem as mãos para fazermos com que o turismo de Sergipe retome o vigor que sempre teve. É um momento muito especial de reconstrução para que o turismo possa movimentar a nossa economia e ser o ponto chave para o desenvolvimento do nosso estado”, salienta o diretor-superintendente do Sebrae, Paulo Eirado Dias Filho.

O programa também vai viabilizar a realização de maratonas de inovação e tecnologia em turismo, desenvolver intervenções criativas em espaços públicos e elaborar diretrizes para a estruturação de destinos turísticos inteligentes.

Imbuído em elevar e divulgar o turismo sergipano, o reitor da Universidade Tiradentes, professor Jouberto Uchôa de Mendonça, esteve presente no evento. “Se nós não divulgarmos e mostrarmos lá fora o que temos, ninguém vai se lembrar que a gente existe. Nós precisamos nos somarmos para poder contribuir e Sergipe ocupar seu devido espaço. A Unit está comprometida e colocamos toda a estrutura à disposição do segmento de turismo do estado”, frisa.

Além do reitor, o superintendente geral do Grupo Tiradentes, professor doutor Saumíneo Nascimento, proferiu a palestra “Turismo: um desafio a ser vencido”. O gestor falou sobre o turismo mundial, fez um panorama do turismo de Sergipe e apresentou o Tiradentes Innovation Center.

“Em 1950, eram 25 milhões de turistas, foi evoluindo ao longo das décadas. Hoje, chegamos a um bilhão e 400 milhões de turistas e deveremos chegar em mais de dez anos a quase dois bilhões. É uma atividade que tem um crescimento bastante relevante”, destaca o superintendente.  

“O desenvolvimento do turismo propicia, além do crescimento econômico, criação de empregos, preservação cultural e também a proteção ambiental”, finaliza Saumíneo.

Compartilhe: