V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Terceira idade: um momento para descobrir um novo propósito de vida

A expectativa de vida dos brasileiros, atualmente, é de 74,8 anos, e proporciona a possibilidade de novos desafios na vida.

às 11h23
A coordenadora pedagógica do curso de Psicologia da Universidade Tiradentes (Unit), Jamille Figueiredo.
A coordenadora pedagógica do curso de Psicologia da Universidade Tiradentes (Unit), Jamille Figueiredo.
Compartilhe:

O ser humano se mantém ativo e é estimulado pelas metas, planos e expectativas que estabelece para si. Mas a rotina do dia a dia pode atrapalhar a realização dos projetos e, quanto mais o tempo passa, mais fica difícil retomá-los ou definir novos desafios, para quem já empreendeu tudo o que desejou. Comumente, isso acontece com pessoas acima de 60 anos e isso lhes dá a sensação de que não há mais razões para viver, levando-as à perda de propósito.

Segundo a coordenadora pedagógica do curso de Psicologia da Universidade Tiradentes (Unit), Jamille Figueiredo, ainda é possível ter um propósito de vida na terceira idade. Viver é um movimento constante de satisfazer necessidades e automaticamente perceber o surgimento de novas. Enquanto houver vida, sempre haverá possibilidades”, disse.

“Encontrar um propósito de vida está ligado ao que o psiquiatra e escritor Victor Frankl nomeou de ‘sentido da vida’. Para o referido autor, o sentido da vida consiste em tomar para si um propósito que implique em responsabilidade consigo e com o outro. Sobreviver, para o ser humano, requer a habilidade de direcionar a sua vida para alguma coisa ou para alguém”, continuou a coordenadora.

Apesar disso, muitos idosos sentem que são um estorvo para a família. Por isso, é importante que ele esteja rodeado de pessoas que os motivem. “O contexto da vida de algumas pessoas idosas pode ser muito difícil, sobretudo quando as redes sociais de apoio, dentre elas a família, apresentam vínculos fragilizados. Nestes casos, outras redes poderão ser somadas à família, como os serviços de assistência social, de saúde e grupos de convivência, por exemplo. Assim, existirá a possibilidade de construção de outros vínculos e de ampliação dessa rede que ofertará o suporte social necessário para o idoso”, salientou.

Em diversos países do mundo, inclusive no Brasil, existe uma inversão nas pirâmides etárias e há cada vez mais pessoas idosas e menos jovens. Com os avanços tecnológicos nos serviços de saúde, educação e saneamento, entre outros, a expectativa de vida dos brasileiros chegou a 74,8 anos. Essa inversão faz com que pessoas com mais de 60 anos se sintam mais saudáveis e procurem esportes como corrida, dança e natação, além de artes manuais.

“Diante disso, a qualidade e a expectativa de vida aumentaram, possibilitando uma vida mais ativa e saudável para os idosos. Esse contexto contemporâneo nos mostra que a idade não deve ser considerada um fator limitante. É possível que os idosos realizem as atividades que desejarem”, destacou Jamille.

 

Leia também: Unit conquista 96,8% de aceitação da comunidade em atividades extensionistas

Compartilhe: