V E S T I B U L A R UNIT
MENU

TJSE reconhece profissionais e estudantes de Jornalismo com Prêmio

Das seis categorias, cinco foram preenchidas por egressos, alunos e corpo docente da Unit. O reitor, Jouberto Uchôa, fez questão de prestigiar a solenidade.

às 22h12
Milton Alves Júnior é o primeiro lugar da categoria Jornalismo Impresso
Compartilhe:

Mais uma vez, os profissionais e estudantes do curso de Jornalismo da Universidade Tiradentes (Unit) são premiados. Das seis categorias do Prêmio do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) de Jornalismo, cinco foram preenchidas por egressos, acadêmicos e corpo docente do curso da Unit. Dentre eles está o presidente do Sindicato dos Jornalistas de Sergipe, Milton Alves Júnior, que garantiu o primeiro lugar da categoria impresso.

‘Direitos Humanos e a Justiça para todos’ foi o tema central do Prêmio TJSE de Jornalismo. Os vencedores foram conhecidos na manhã desta quinta-feira, 13, durante solenidade realizada no auditório do Palácio da Justiça Tobias Barreto. Na ocasião, Ancelmo Gois, sergipano colunista de O Globo, ministrou uma palestra sobre sua trajetória no jornalismo. No total, foram concedidos mais de R$ 30 mil em prêmios.

“É um dia de muita alegria, um dia festivo para o Tribunal de Justiça e para a imprensa sergipana, dentro da filosofia da gestão 2021-2023, que é aproximar o Judiciário da sociedade através da imprensa. Hoje, estamos coroando esse acontecimento, não só com a entrega do prêmio, como também com a presença do ilustre jornalista sergipano Ancelmo Gois, nacionalmente conhecido. Essa premiação é um reconhecimento ao valor da imprensa para sociedade, uma imprensa livre, e também para a valorização da democracia”, ressaltou o Desembargador Edson Ulisses de Melo, Presidente do TJSE.

Para reitor da Unit, professor Jouberto Uchôa, a oportunidade reforça a qualidade de ensino da instituição. “Esse tipo de premiação me envaidece. Mas de uma forma muito sutil e positiva. Afinal, ver tantos rostos conhecidos ocupando o pódio de cada categoria, me deixa muito feliz e realizado”, revela Uchôa.

O sentimento é compartilhado por quem está no pódio. “Participar e ser reconhecido em um prêmio como esse, principalmente com matérias especiais, é mais que gratificante justamente pelo conjunto das ações que a gente realiza para que (no meu caso), os leitores tenham acesso a um conteúdo de qualidade e com o máximo de ineditismo”, avalia Milton Alves Júnior que recebeu o prêmio das mãos do reitor da Unit.

Na reportagem impressa que garantiu o primeiro lugar, Milton Júnior entrevistou um total de 63 pessoas, autodenominadas como irmãs, pais, esposas e filhos de pessoas sentenciadas em unidades prisionais de regime fechado. “Analisamos o índice de aprovação para com o trabalho realizado pela Corte de Justiça. Foi um trabalho complicado e inédito”, revela Milton Júnior que já acumula oito prêmios. Este do TJ SE é o seu primeiro de 2022 e o nono de sua coleção de homenagens.

Outros premiados

A professora doutora Juliana Almeida, compartilhou sua emoção nas redes sociais com seu 25º prêmio de Jornalismo: “Como sou feliz na profissão que escolhi. Hoje, também como professora, projeto essa alegria em cada aluno que é premiado. No Prêmio TJSE de Jornalismo tive muitas alegrias. Saí emocionada com mais uma conquista da Rádio UFS com meus grandes companheiros de reportagens Josafá Neto e meu amor Alysson Lima, mas a conquista dos meus alunos e ex-alunos colocam minha alegria em outro patamar. Viva a comunicação pública, viva a Rádio UFS! Viva ao curso de Comunicação Social da Unit e o esforço titânico de professores que dão o melhor de si para fazer o jornalismo sergipano melhor!”.

Os estudantes vencedores na categoria Trabalho Acadêmico também são da Unit. O 1º lugar foi de Edicarlos Araújo Queiroz, que recentemente concluiu o curso de Jornalismo, com o trabalho: ‘Fake News – a ameaça à democracia e a interferência no processo eleitoral brasileiro’. “Foi um trabalho de longo tempo, de muita pesquisa, muita demanda e contatos, mas foi um trabalho satisfatório, duplamente premiado, não só na conclusão do curso, mas também aqui pelo Tribunal de Justiça”, disse Edicarlos.


Palestra

‘De Frei Paulo para o Brasil: a trajetória de um jornalista sergipano’ foi o tema da palestra Ancelmo Gois. Nascido em Frei Paulo (SE), em 15 de setembro de 1948, ele iniciou a carreira na imprensa aos 14 anos, na Gazeta de Sergipe. Formou-se em Jornalismo pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso (RJ). Teve passagem em veículos de comunicação do Grupo Abril, como as revistas Veja e Exame. Durante muitos anos, assinou o Informe JB, no Jornal do Brasil. Desde 2001, mantém uma coluna diária no jornal O Globo.

“Trabalho nessa profissão há quase 60 anos e o setor Judiciário sempre foi muito fechado. Se dizia no passado ‘a Justiça não fala’, ‘a Justiça fala nos autos’. E durante muito tempo era um setor muito inacessível. Então, eu só posso ver com alegria, grande prazer e contentamento iniciativas como essa, de abertura do setor, de organizar prêmios. O mundo tem algumas palavras-chave e uma delas se chama transparência. Quem não entrar nessa onda da transparência vai ficar para trás”, analisou Ancelmo Gois.

Durante a palestra, ele falou do início na profissão e contou histórias vividas durante a trajetória enquanto jornalista. Além disso, comentou o fato de ser um profissional reconhecido nacionalmente. “Eu não tenho uma receita. Algumas coisas eu sei, quem fica parado é poste. Outra coisa que eu sei, um friozinho na barriga, de vez em quando, um desafio, sair da linha de conforto, tentar uma coisa nova, é fundamental”, aconselhou o jornalista.

 

Vencedores

Telejornalismo

1º lugar: Mudança no modelo de ressocialização em Sergipe provoca reinserção de jovens e adolescentes na sociedade, de Leonardo Gomes Barreto, Fredson Navarro, Remi Costa, Jeová Luiz e José Bosco, da TV Atalaia

2º lugar: Patrulha Maria da Penha assegura proteção de vítimas da violência doméstica durante a pandemia, de Gustavo Costa e Jackson Cabral, da TV PMA

3º lugar: 15 Anos Lei Maria da Penha, de Maristela Santos Niz, da TV Sergipe

Webjornalismo

1º lugar: Sem-teto – a vida de quem não tem um lugar digno para morar em meio à pandemia, de Wilames Rodrigues, do F5 News

2º lugar: Tribunais de Justiça têm sido a esperança para a saúde negligenciada, de Andréa Moura, do Pra você saber

3º lugar: Nome Social resgata a cidadania de pessoas trans – gratuidade faz pedidos aumentarem, de Antônio Carlos Garcia, do Só Sergipe

Jornalismo Impresso

1º lugar: 70% das famílias de sentenciados em unidades prisionais acreditam no trabalho do TJSE, Milton Alves Junior Santana, Jornal O Dia

Radiojornalismo

1º lugar: Mulheres encarceradas – amor, desagregação e luta, de Magna Santana, da Sim FM

2º lugar: Poderes que protegem, de Lucas Brasil, da Eldorado FM

3º lugar: Equidade de gênero e humanização a luta das pessoas LGBTQIA+ na busca por assistência à saúde e à justiça, de Juliana Correia Almeida, Josafá Bonifácio da Silva Neto e Alysson Lima Araújo, da Rádio UFS FM

Fotojornalismo

1º lugar: Sem-teto – a vida de quem não tem um lugar digno para morar em meio à pandemia, de Pedro Gabriel Barreto Ramos, do F5 News

Trabalho Acadêmico

1º Lugar: Fake News – a ameaça à democracia e a interferência no processo eleitoral brasileiro, de Edicarlos Araújo Queiroz, da Universidade Tiradentes

2º Lugar: Dois minutos, de Jamile Vasco da Silva Pereira, Isabella de Almeida C. Kodel, Karoline Vieira Faria, Andreeyvyd Almeida Teles, da Universidade Tiradentes

 

Fotos: Raphael Faria / Dicom TJSE

 

Com informações da ASSCOM TJSE

Compartilhe: