V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Entenda o que são metodologias ativas e como elas são aplicadas no EAD

Maior participação do estudante nas atividades, envolvimento na construção do próprio aprendizado, são alguns dos benefícios das metodologias ativas

às 13h02
Gerente acadêmica EAD, Karen Sasaki
Gerente acadêmica EAD, Karen Sasaki
Compartilhe:

Metodologias ativas consistem em colocar o aluno no centro do aprendizado por meio de atividades participativas e não somente expositivas, o que faz com que ele adquira maior responsabilidade em relação ao estudo e tenha envolvimento na construção do próprio aprendizado. 

Para a Gerente Acadêmica de Educação à Distância, Karen Sasaki, as tecnologias têm um grande poder na educação, sobretudo para manter a comunicação síncrona, em tempo real. Isso levou a uma profunda reflexão sobre o papel da tecnologia, da atuação docente e da relevância das competências socioemocionais. “Tudo isso precisa andar não apenas próximos, mas integrados, independentemente da modalidade de ensino (presencial ou EAD)”, diz. 

Karen ainda ressalta que garantir uma metodologia de ensino que valorize o protagonismo do aluno é uma forma de garantir a aprendizagem de forma ativa. Onde o aluno fala mais que o professor, e que acaba não tendo tempo para se distrair com outros conteúdos

Mas afinal como funcionam as metodologias ativas?

A gerente acadêmica explica a metodologia ativa da seguinte maneira: imagine uma aula com a seguinte estratégia para tratar sobre energia solar. No ensino tradicional, o professor planejaria sua abordagem apresentando os conceitos principais contextualizando com os objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas ONU, ilustrando com exemplos reais. 

Passaram os 60 minutos. Agora imagine essa mesma discussão assim: antes da aula presencial os alunos têm acesso a conteúdos digitais (videoaulas, conteúdos de leitura, infográficos apresentando a problemática mundial e alguns exercícios de fixação). 

Chegou o dia e o professor começa a aula, em 10min acessa o relatório de respostas no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), analisa os erros e acertos dos exercícios de fixação realizados pelos alunos, informando o que poderiam melhorar e esclarecendo dúvidas.

Em seguida, ele solicita o início de um projeto/protótipo de formas de geração de energia solar em uma cidade de cada região do país. Divide a turma em equipes e inicia o desafio aos alunos: quais são os desafios climáticos, sociais, culturais, investimento de implantação, benefícios e desafios? Como implantar um projeto de energia solar? 

Os alunos possuem 40min para pensar nesse projeto/protótipo e o professor circula entre as equipes para direcionar a discussão.  Nos 10min finais um relator de cada grupo apresenta os resultados alcançados e o professor conclui mostrando os resultados e os diferenciais de cada projeto. 

Esse é o objetivo das metodologias ativas. “Permitir que o aluno interaja e aja sobre e com o conhecimento; que ele coloque a mão na massa e transforme o conteúdo teórico em competência crítica. Atuar com metodologias ativas é mudar o discurso do esse conteúdo vai cair na prova por isso vai te ajudar no futuro quando estiver atuando em sua profissão”, enfatiza.

O objetivo é incluir modelos educacionais cada vez mais conectados, que permitam flexibilidade de tempo e espaço geográfico para os alunos. Assim, quem tem um dispositivo móvel e internet pode ser um aluno de um curso superior à distância. 

Leia também: Google Workspace for Education é um potente aliado do EAD

Compartilhe: