V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Unit, Memória e Tradição

Evento no Campus Centro destaca a importância da preservação da cultura popular

às 19h36
Mestre Jorge relata sua experiência no folclore
Mestre Jorge relata sua experiência no folclore
Alunos prestigiam o evento e conhecem as tradições
Jovens talentos fazem apresentação musical
A professora Viviane Dantas abre o 1º Encontro
Compartilhe:

Preocupados em manter vivas as tradições culturais do estado de Sergipe, alunos de todos os períodos do curso de História da Universidade Tiradentes organizaram o I Encontro de Cultura e Memória – Sergipe em foco.

A programação iniciada na noite desta terça-feira, 6, prossegue hoje, 7, e contempla apresentações musicais, debates, exibições de vídeos, teatro e exposições. Além dos artistas convidados participam do I Encontro professores dos cursos de História, Pedagogia, Geografia, Letras, seus alunos e também alunos da Educação Básica.

Destaque como um dos pontos altos da programação de abertura, a roda de conversa mantida entre o senhor Jorge dos Santos, um veterano da cultura popular, e os participantes, rendeu um relato substancioso da sua experiência de 80 anos com o folclore. Nascido e criado na cidade de São Cristóvão, onde preserva a tradição da cultura popular com a manutenção do Grupo União que contempla o Samba de Coco, Reisado, Taieiras e o Carnaval das Antigas; Mestre Jorge, como é conhecido nos locais por onde se apresenta, ressaltou que o caminho da preservação da memória de um povo passa pela sua divulgação através das escolas. “Os alunos são agentes importantes na manutenção das tradições. A nossa cultura é muito rica e é vital que eles conheçam porque somente assim podem preservar”, opina o Mestre Jorge.

Satisfeita com a adesão ao projeto extensionista pelos seus alunos, a Coordenadora dos cursos de História, Pedagogia e Geografia, professora Viviane Dantas, lembra a importância de colocar em prática o conhecimento por eles adquirido em sala de aula. “E quando o assunto diz respeito à preservação da nossa memória cultural, percebo através de iniciativas como essa o interesse dos nossos alunos em conhecer a rica tradição que o estado possui”, afirma.

“Trabalhar com memória é transformar a sociedade”, sintetiza o acadêmico do 5º período de História, Nidelvardo de Jesus Lemos, um dos organizadores mais empenhados na realização do evento. Esperançoso que a iniciativa simbolize uma nova fase para os acadêmicos, ele assegura que o 1º Encontro de Cultura vai se consolidar no calendário da instituição.

Além da Roda de conversa, a programação da noite de abertura do I Encontro de Cultura e Memória – Sergipe em foco destacou a apresentação de uma orquestra de violinos, exibição de um documentário da História de Sergipe e apresentação de grupo de dança com o espetáculo ˜Sou Nordeste, Sou Sergipe”.

Acompanhe a programação desta quarta-feira, 7:

20h30 – Abertura

Exposições de quatro estandes: Folguedos, Reisado e Samba de Coco; Identidade Cultural de Sergipe; Culinária de Sergipe; Literatura de Cordel, que serão organizados pelos discentes dos quatro períodos do curso de História. Integram ainda a programação apresentações culturais realizadas pelos discentes: recitação da literatura de cordel; apresentação de dança de forró; encenação teatral: “A Revolta de Fausto Cardoso”; duas apresentações de música ao vivo (voz e violão); apresentação de dança: ˜Sou Nordeste, Sou Sergipe˜.

Veja mais Marcelo Freitas. Acesse aqui.

Compartilhe: