V E S T I B U L A R UNIT
MENU

“A Iniciação Científica abriu um mundo novo para mim”, diz acadêmico.

Jônatas Levi é estudante do curso de Engenharia Química da Unit e participou de três projetos de Iniciação Científica durante a graduação.

às 10h43
Compartilhe:

Jônatas Levi Campos, estudante do curso de Engenharia Química da Universidade Tiradentes, sempre teve vontade de ingressar no campo da pesquisa. Decidido, Jônatas realizou o Enem e ganhou uma bolsa integral no Programa Universidade para Todos (Prouni). Primeiro, ingressou no curso de Engenharia Civil e, no período seguinte, transferiu-se para Engenharia Química, seu grande sonho. 

“Fui muito bem acolhido pela professora Elaine Emília, coordenadora. Como eu estava trabalhando no primeiro semestre, não pude fazer Iniciação Científica (IC). Depois, fiquei desempregado e foi a chance de realizar um sonho. Tive o apoio da professora, que ligou para dois pesquisadores para começar na pesquisa”, comenta o acadêmico. 

“Na mesma semana, uma pesquisadora do Instituto de Tecnologia e Pesquisa me procurou, mesmo sem bolsa, e aceitei participar e estudar o assunto da pesquisa. Dois meses depois, surgiu a oportunidade de bolsa com outros dois pesquisadores, os professores Álvaro Silva e Cleide Mara. Começava ali a realização de um sonho”, acrescenta. 

Para o acadêmico, a Iniciação Científica abriu novos horizontes. “A IC abriu um mundo novo para mim. A universidade é muito boa, mas o mundo que a IC abriu é muito maior e amplo. Conheço áreas da engenharia que nem sonhava em ver. Conheço também mais sobre os pormenores e gestão de projetos. Cresci como pessoa, estudante, esposo, liderado e engenheiro”, enfatiza. 

“No nível intelectual, conheci técnicas, equipamentos, pessoas e conhecimentos que não teria apenas na sala de aula. Sei técnicas que apenas mestrandos e doutorandos aprendem. Consigo manusear equipamentos científicos, o que vai me servir muito no futuro. Conheci pessoas extraordinárias que servirão de pontes e amizades vindouras”, acrescenta. 

Jônatas destaca a importância da Unit em sua trajetória durante a graduação. “Os profissionais do ITP e da própria Unit são maravilhosos. Agradeço a todos os técnicos de laboratórios, sempre gentis e solícitos, aos professores dedicados e à coordenação impecável dos docentes Elaine Emília, Claudia Santana e Paulo Martins. A Unit fomenta a participação dos alunos na IC e, além disso, disponibiliza ferramentas para que se possa estudar, pesquisar e aprender”, salienta. 

Entre os projetos de Iniciação Científica estão o de Desenvolvimento de queijos com baixo teor de lactose e outros produtos reaproveitando a biomolécula, Pesquisa, desenvolvimento e inovação em tecnologias para a obtenção de produtos obtidos do leite e do soro de leite e Avaliação Computacional de Interações entre Macromoléculas e PIM.

“Os dois primeiros são ramos de um mesmo projeto-mãe e nos possibilitaram o depósito de uma patente, apresentação de artigos e pôster em quatro congressos de renome, sendo três nacionais — os três maiores em sua área — e um internacional. Foi um ótimo fim de ciclo, onde aprendi bastante”, destaca. 

“Deixo o meu agradecimento e reconhecimento aos grandes pares desses projetos, como a minha orientadora Cleide Mara e co-orientadores Matheus Mendonça, da Universidade de Aveiro, Álvaro Silva e Ranyere Lucena. Também tivemos o apoio irrestrito e fenomenal de Acenini Lima Balieiro, ex-aluna de doutorado Unit e pesquisadora da UFS, de João Batista Barbosa e Gilderlan Rodrigues Oliveira, ex-alunos de doutorado da Unit e pesquisadores do IFS, de Patrícia Severino, professora da Unit e pesquisadora ITP, de Odelsia Leonor Sánchez de Alsina, ex-pesquisadora ITP e das minhas colegas de IC Lorena Armando da Silveira e Vitalia Bispo dos Santos”, finaliza o acadêmico.

Veja também: Projetos de pesquisa beneficiam estudantes com a Iniciação Científica.

Compartilhe: