V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Amendoim verde cozido, patrimônio imaterial sergipano

Lei 7.682/2013 definiu o amendoim como patrimônio Imaterial do Estado de Sergipe reconhecendo a importância cultural do alimento. 

às 14h45
Compartilhe:

Não tem como negar que um bom amendoim cozido cai bem a qualquer hora e lugar. Na praia ou até mesmo em casa, com um sabor peculiar, o alimento é um verdadeiro patrimônio sergipano. Isso porque, o amendoim verde cozido foi reconhecido oficialmente como patrimônio imaterial de Sergipe, por meio da Lei 7.682/2013, publicada no Diário Oficial do Estado.

A legislação assegura a importância cultural desse alimento típico do Estado de Sergipe. Além da preservação desse bem, a lei também reitera a relevância do amendoim para o comércio local. A evidência do produto ajuda a manter viva a memória e cultura dos sergipanos.

Mas, uma curiosidade no modo de preparo do amendoim faz esse produto se tornar ainda mais singular para sergipanos e turistas. É o toque da sergipanidade: cozinhar com água, sal e limão. Foi por acaso que um produtor colocou limões no cozimento e escorreu em uma peneira. Ao secar o produto, deu origem a um novo preparo dessa iguaria.

Sergipe também se destaca como exportador desse alimento para outros Estados, a exemplo de Bahia e São Paulo. A colheita acontece, geralmente, após 80 dias de plantio, que deve ser feita com temperaturas adequadas e umidade suficiente no solo. A produção está concentrada na Zona Rural de mais de 30 municípios sergipanos, entre eles, Lagarto, Itabaiana e Areia Branca.

Após a produção no campo, o amendoim cozido é vendido em feiras livres e praias sergipanas. Outra tradição é a presença dessa iguaria nos festejos juninos. Ingrediente indispensável para a mesa dos nordestinos.

Bom no sabor e melhor ainda para a economia de Sergipe, estima-se que o amendoim cozido renda R$ 4 milhões para o Estado todos os anos.

 

Leia também:

Festa do Mastro: tradição, história, patrimônio

Compartilhe: