V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Automedicação: a importância do profissional farmacêutico

O uso de medicamentos e a fundamental participação do Farmacêutico na disseminação de conhecimentos é tema de evento na Unit.

às 18h38
Compartilhe:

Por Roberta Andrade e Raquel Passos

Ao contrário do que se pensa, a automedicação não tem nada de inofensiva. Os medicamentos devem sempre ser prescritos por profissionais da saúde. Com o objetivo de estimular o senso crítico sobre esse assunto entre futuros profissionais farmacêuticos, a Universidade Tiradentes realizou a primeira Semana de Uso Racional de Medicamentos nos últimos dias 03 e 04.

Realizado de forma virtual pela plataforma Google Meet, os acadêmicos e profissionais da saúde acompanharam palestras com autoridades renomadas da área farmacêutica. Na programação ainda teve a apresentação das ações realizadas entre alunos,  professores e comunidade durante o estágio na UBS Roberto Paixão, referente à disciplina Farmacoepidemiologia. 

Na pauta, o papel dos farmacêuticos no URM em pandemia, as principais reações e os efeitos adversos quando utilizado medicamento sem orientação adequada, destacando o aumento de casos graves em tempo de pandemia. Em cada noite de evento virtual, cerca de 180 ouvinte.

Para a professora e farmacêutica,  Ingrid Borges Siqueira, a importância dos conhecimentos em Farmácia é uma necessidade dos alunos, profissionais de saúde e também da população em geral.  “Pretendemos estimular o raciocínio crítico e criativo dos participantes da Semana. Assim, todos poderão ser os precursores na criação de propostas éticas e seguras a serem aplicadas na população”, enfatiza. 

Estágio UBS

A professora e preceptora de estágio da Unit,  Kathlyn Pinheiro Lima, também reforça a importância de se utilizar medicamentos nas dosagens, intervalos e período de tempo prescritos. 

Na Unidade Básica de Saúde Professor Dr. Roberto Paixão,  no bairro 17 de Março, os acadêmicos do curso de Farmácia da Unit realizam atendimentos relacionados à disciplina Farmacoepidemiologia a cerca de 40 pessoas. 

“Além disso,  a população é orientada sobre os benefícios do uso correto de medicamentos, o que contribui para uma melhor qualidade de vida. São atitudes que garantem condições de segurança no tratamento, pois aproxima os acadêmicos do curso da comunidade”, conclui  Kathlyn. 

Compartilhe: