V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Circuito Paralímpico: atleta encontrou no atletismo forma de ajudar a família

Foi de olho nas premiações das corridas dos circuitos que a paratleta manauara começou a participar de corridas e a se destacar no cenário do atletismo

às 18h47
O esporte entrou na vida de Josimara Andrade meio que por acaso
O esporte entrou na vida de Josimara Andrade meio que por acaso
O atletismo foi a saída para resolver problemas da vida da atleta manauara (Foto: Luiz Dinarte)
Compartilhe:

Por Denise Gomes

Entre uma competição e outra do Circuito Brasil Loterias Caixa 2018, que acontece até domingo, 25, na Vila Olímpica da Unit, campus Farolândia, as histórias de superação se multiplicam tal como as medalhas. Uma delas é a de Josimara Andrade, de 24, que há três conheceu o atletismo. O esporte surgiu meio que por acaso na vida da jovem paratleta de Manaus, capital do Amazonas, que se viu sem recursos para ajudar a família, em especial o filho, de cinco anos de idade, que precisava realizar uma cirurgia.

Foi de olho nas premiações das corridas do circuito regional e com a ajuda de um amigo, que ela começou a participar de corridas, e o melhor, começou a vencer. “Meu filho mais novo também é deficiente visual e na época ele tinha que fazer uma cirurgia e eu precisava de R$ 500, mas não tinha esse dinheiro. Foi então, que resolvi participar de corridas, pois os prêmios poderiam me ajudar neste sentido. Um amigo acabou me incentivando e foi assim que comecei minha carreira no atletismo. No início era pelo dinheiro, mas depois se tornou uma grande paixão”, afirmou.

O Circuito Brasil Loterias Caixa 2018 é a segunda grande competição que ela participa e logo na primeira prova conquistou a medalha de ouro. “Costumava correr somente em campeonatos regionais, mas ano passado tive minha primeira experiência em grandes competições e agora em Aracaju tenho minha segunda participação neste evento que tem uma representatividade enorme no país. Consegui me classificar em primeiro na regional, já na fase nacional estou entre os três primeiros colocados e é muito gratificante quebrar nossos próprios limites”, disse a atleta.

De olho no pódio

Guia de Josimara, José Ramos, sabe da responsabilidade que é acompanhar e ajudar o atleta a conquistar seu objetivo. “É um trabalho conjunto, mas com certeza de grande responsabilidade, pois passamos a ser os olhos do atleta e em uma competição como essa não podemos correr à frente, “puxando” o atleta, mas, acompanhando o ritmo deles. Apesar do pouco tempo treinando juntos, apenas 8 meses, nosso entrosamento é muito bom e o resultado foi o ouro logo na primeira prova do dia”, enfatizou.

Compartilhe: