V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Dia do trabalhador e sua relação com a história

Após movimentos sociais históricos, o trabalhador adquiriu direitos e deveres. Hoje, Brasil vivencia reforma trabalhista em vigor, com novas regras

às 16h43
Professor de Direito do Trabalho da Unit, Ricardo Carneiro, relembra fatos históricos que impulsionaram dia do trabalho
Professor de Direito do Trabalho da Unit, Ricardo Carneiro, relembra fatos históricos que impulsionaram dia do trabalho
Compartilhe:

Por Monyque Evelyn Santos e Raquel Passos

No dia 1° de maio de 1886, milhares de operários organizaram uma greve geral em Chicago (EUA) em prol da redução da jornada de trabalho que chegava a dezessete horas. O manifesto foi bem-sucedido, a carga horária foi para oito horas e o evento ficou conhecido mundialmente como o Dia do Trabalhador.

De acordo com o professor de Direito do Trabalho da Universidade Tiradentes Unit Ricardo Carneiro, com a reforma trabalhista em vigor no Brasil e suas novas regras, o trabalhador também pode e deve continuar contribuindo com a história. “Os trabalhadores do Brasil precisam se assemelhar com aqueles de Chicago, do século XIX, e que sigam em luta por melhorias nas condições trabalhistas da legislação”, ressalta.

Afinal, o mercado de trabalho tem se apresentado cada vez mais dinâmico e em transformação graças às novas tendências tecnológicas e das exigências de mercado. “Hoje o trabalhador pode optar em ser fixo de alguma empresa ou em prestar serviços independentes. Tais habilidades são possíveis por meio das constantes especializações nas áreas de inovação e tecnologia que impactam diversas profissões. A esse movimento chamamos de trabalho novo, inserido na sociedade ao longo dos anos”, explica Carneiro.

As empresas também vêm se adaptando a essas alterações justamente para atender a esse nicho que se renova constantemente. “Os próximos passos serão ditados pela postura que os trabalhadores vierem a adotar a partir de agora. Se for cautelosa para buscar novos horizontes e novas formas de se reinventar, obterão êxito”, acredita o especialista em Direito do Trabalho da Unit, professor Ricardo Carneiro.

Compartilhe: