V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Docente da Unit destaca tendências para a área de Engenharia de Software

A professora da Universidade Tiradentes Jenifer Toledo fala sobre o mercado de trabalho e as áreas de atuação do profissional

às 13h25
Compartilhe:

A pandemia de covid-19 abriu portas para diversos segmentos. Uma das áreas com grande crescimento foi a de Engenharia de Software. Segundo o International Data Corporation (IDC), líder em inteligência de mercado, as empresas estão investindo cerca de 50% a mais na área de Tecnologia.

Os profissionais estão sendo bem mais valorizados. Nos Estados Unidos, a profissão dos sonhos e mais bem paga é do Engenheiro de Software. É uma profissão bem exigente e que requer constante atualização de conhecimentos, aperfeiçoamento técnico e principalmente das soft skills”, comenta a professora da Universidade Tiradentes, Jenifer Toledo.  

“É uma área fantástica e, atualmente, bastante promissora, principalmente para os próximos anos. O profissional precisa gostar de desafios, de solucionar problemas, pesquisar e estudar”, acrescenta.

De acordo com a docente, a área de Engenharia de Software, como toda Engenharia é voltada para ‘criar soluções para humanidade/sociedade’, sendo que a Engenharia de Software é voltada especificamente para soluções computacionais.  

O profissional requer um perfil analítico, organizado, comunicativo, crítico, autodidata e em constante atualização, que seja ‘curioso’. Visto que, além dos conhecimentos técnicos, procedimentos, métodos e ferramentas da Engenharia de Software, este profissional deverá abstrair e analisar criteriosamente as necessidades do negócio para realizar entregas de valor ao cliente”, enfatiza.

“Acredito que durante o processo de formação, o aluno cria o seu destaque profissional, indo ‘além da sala de aula’. A Universidade Tiradentes, por exemplo, fornece vários meios para isso como Projetos de Extensão, Projetos e Grupos de Iniciação Científica, um curso de idiomas, intercâmbio, estágios, monitoria das disciplinas, entre outras oportunidades. Acredito que o estudante soma em seu histórico da graduação e isso irá refletir fortemente no mercado como um destaque profissional”, finaliza. 

Veja também: Cidades inteligentes: a tecnologia usada na resolução de problemas.

Compartilhe: