V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Etapas na produção de vacinas são discutidas em live

“A produção de vacinas é longa e pode demorar até 15 anos. Mas também pode ser tão rápido como temos acompanhado”, diz pesquisadora

às 23h29
Pesquisadora detalha sobre as etapas da produção de vacinas
Compartilhe:

O mundo está mobilizado em comprovar o valor que a imunização das vacinas possui para a saúde pública. Para contribuir com essa discussão, o Programa de Pós-graduação em Saúde e Ambiente (PSA) da Universidade Tiradentes realizou um evento virtual neste dia 18 com a farmacêutica mestre e doutora em Ciências Farmacêuticas pela Universidade de São Paulo, professora Juliana Cordeiro Cardoso. 

Como as vacinas são desenvolvidas, como as boas práticas são efetivadas diante dos princípios científicos, considerando o contraponto desse ambiente de pandemia e uma visão geral da produção de vacinas foram detalhados pela especialista durante a live transmitida pelo canal da Unit no Youtube.

“Dentro da perspectiva interdisciplinar e da pesquisa, o tema é relevante, afinal, nunca se falou tanto em ciência e sobre a importância do olhar científico para os dados. O PSA é feito de parcerias de diversas profissões que buscam a resolução de problemas complexos e nada mais complexa que a atual situação”, pontua a professora doutora Juliana Cardoso.

Mas afinal, quais as etapas de produção de uma vacina? ”A produção de medicamentos é longa e pode demorar até 15 anos. Mas também pode ser tão rápido como temos acompanhado no cenário atual, sem abrir mão da qualidade, porque os pesquisadores buscam as condições reais e melhores métodos. A formação científica é fundamental nesse momento”, pontua a pesquisadora. 

A primeira etapa de produção contempla os estudos laboratoriais. “Inicia estudo laboratorial, e se vê a qualidade daquele produto. Logo em seguida, fazem testes in vitro para saber se tem potencial biológico e depois passa para os testes em animais – seguindo todos os protocolos conforme órgãos reguladores – para ver se aquela substância vai ter o efeito esperado no sistema biológico; que, por sua vez, é complexo, com reações bioquímicas ocorrendo ao mesmo tempo. Só depois de determinada segurança, podemos passar o ensaio em humanos, entrando no que chamamos de testes clínicos divididos em três fases”, detalha a doutora Juliana Cardoso. 

“Só depois de percorrer as três fases: estudos farmacológicos, estudo exploratório e desafio, um comitê composto por especialistas em conjunto com o órgão regulador, no Brasil, é a Anvisa, que vai avaliar os resultados e tomar a decisão se será aprovado. Isto é, se pode ter registro para produção ou não”, explica.

Quando validado pela Anvisa, o medicamento entra na produção em escala, seguindo normas para manter a qualidade do produto. “E aí segue de maneira permanente, um estudo de acompanhamento e monitoramento da segurança, o que chamamos de farmacovigilância. Importante lembrar que o desenvolvimento da vacina envolve uma série de profissionais, é totalmente interdisciplinar, envolvendo vários saberes”, conclui.

Edital aberto

Professores e alunos dos cursos de mestrado e doutorado da Unit percorrem o mundo, produzindo ciência e tecnologia em parceria com renomados pesquisadores, das mais bem conceituadas instituições de ensino superior em diversos países. 

O PSA da Unit tem como objetivos formar Mestres e Doutores capazes de desenvolver e utilizar estratégias científicas voltadas para solução de problemas socioeconômicos de interesse regional, atuando com postura crítica e interdisciplinar na docência e na pesquisa das relações entre saúde e ambiente, com pertinência à sua área de formação, e visando a melhoria das condições de vida e desenvolvimento da população.

As inscrições do 1º período terminam em 23 de março de 2021. Para o 2º período é de 03 de maio de 2021 a 23 de julho de 2021. São ofertadas 20 vagas para o Curso de Mestrado e 15 vagas para o Curso de Doutorado, conforme edital.

O PSA/Unit oferece três linhas de pesquisa: Ambiente, Desenvolvimento e Saúde, Enfermidades e Agravos de Impacto Regional e Biodiversidade e Saúde. “É um curso interdisciplinar em um programa com excelente avaliação pela CAPES. Os professores estão à disposição para auxiliar a tirar dúvidas e orientar nesse momento de ampliar horizontes”, diz a professora doutora Margareth Zanardo Gomes, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Saúde Ambiente.

Para entrar em contato ou tirar dúvidas sobre o Programa, basta enviar e-mail para: psa@unit.br.

Leia mais:

Compartilhe: