V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Evasão estudantil: área da saúde contabiliza as menores taxas no Brasil


às 20h35
Coordenadora de área da Saúde da Unit, professora doutora Juliana Dantas
Coordenadora de área da Saúde da Unit, professora doutora Juliana Dantas
Compartilhe:

Uma pesquisa de campo realizada pelo Instituto Semesp, indica que os cursos de graduação da área da Saúde, apresentaram ao longo dos últimos dois anos, a menor taxa de evasão estudantil. Presente na 12ª edição do Mapa do Ensino Superior, o relatório revela que a multiplicação das oportunidades de emprego contribuem de forma direta para que a taxa de desistência, em todo o país, contabilize 27,2% durante os anos acometidos pela pandemia da Covid-19. Paralelo ao mercado de trabalho em expansão, a professora doutora Juliana Dantas defende que outros aspectos contribuem para a notificação de dados positivos.

Responsável pela coordenação de área da saúde da Universidade Tiradentes (Unit), Dantas destaca o compromisso social e profissional cultivado por cada acadêmico desde a fase escolar. Na avaliação técnica da especialista, a crise sanitária provocada mundialmente pelo novo coronavírus resultou na valorização de todas as áreas da saúde, criação de novas clínicas e hospitais fixos ou temporários, bem como laboratórios e atendimentos virtuais. Diante de todo este movimento centralizado nas ações de combate à Covid-19, o mercado exige profissionais gabaritados e prontos para enfrentar situações de devastação sanitária.

“A baixa evasão acontece por múltiplos fatores, que envolvem desde o sonho de criança ou adolescente em se matricular em cursos de graduação voltados para a área da Saúde, oportunidade de emprego e também o perfil social, de assistência. A bagagem adquirida aqui na Unit permite que o profissional saia graduado com amplas condições de pleitear espaço no mercado de trabalho, seja em departamentos particulares ou mesmo em processos seletivos simplificados e concursos públicos”, destacou. A professora Juliana Dantas alerta os acadêmicos para as exigências que o mercado impõe.

Da mesma maneira em que o país permite e agrega um quantitativo maior de profissionais, ele também exige que estes trabalhadores apresentem capacidade técnica para atender as demandas diárias. Não basta querer atuar em uma determinada área profissional, é fundamental aprimorar conceitos e experiências. “É justamente isso o que está acontecendo em Sergipe e no Brasil. O mercado está enfrentando um momento multifatorial, mas ao mesmo tempo em que ele oferta emprego, também impõe que os candidatos às vagas estejam bastante qualificados”, explicou Juliana Dantas.

Pesquisa

Os registros divulgados pelo Mapa do Ensino Superior detalham que a maior taxa de evasão da área na modalidade presencial é em gestão hospitalar (41,1%), por ser mais genérico e administrativo. Na modalidade Ensino a Distância (EAD), gestão hospitalar segue com mais evasões (50,6%) e radiologia com a menor (26,7%). 

Os dados têm como base a análise dos microdados do Censo da Educação Superior de 2020, período mais recente que o Inep disponibiliza. O Mapa também contempla análise de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do IBGE, microdados do ENEM e do PROUNI, CAGED, Big Data Analytics, com alguns recortes de 2021 e 2022.

 

Leia também:

Qual a importância do enfermeiro no controle de doenças imunopreveníveis?

Compartilhe: