V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Inovação e parcerias qualificam escolas médicas do Grupo Tiradentes

Os quatro cursos de Medicina mantidos pelo Grupo em Sergipe, Alagoas e Pernambuco usam metodologias avançadas e tecnologias de ponta para a formação de médicos

às 20h08
Compartilhe:

A Medicina é uma das áreas profissionais mais concorridas e mais complexas em seu processo de formação, o que exige cursos e escolas de excelência. Essa missão é cumprida pelas quatro escolas médicas mantidas pelo Grupo Tiradentes em seus estados de atuação, sendo duas da Universidade Tiradentes (Unit Sergipe), em Aracaju e Estância; uma do Centro Universitário Tiradentes (Unit Alagoas), em Maceió; e uma da Faculdade Tiradentes (Fits), em Jaboatão dos Guararapes (PE). 

Com estruturas de ponta, parcerias com instituições locais e um corpo docente bastante qualificado, as faculdades vêm emplacando bons resultados em exames nacionais e internacionais de admissão em programas de residência médica, incluindo alguns dos mais concorridos do país e da América Latina, incluindo os da Universidade de São Paulo (USP) e dos hospitais Sírio-Libanês e Israelita Albert Einstein, na capital paulista. Esta fama já se confirmou na primeira turma do curso de Medicina da Unit em Aracaju, o primeiro a ser criado, em 2010. Dentre os primeiros formandos, 80% foram aprovados em residências médicas de todo o país, média que se manteve ao longo dos anos. 

Um dos principais segredos do sucesso é o PBL (Problem Based Learning ou Aprendizagem Baseada em Problemas), uma moderna técnica de ensino baseada na prática intensiva e na aprimoração da capacidade do aluno de buscar e gerar soluções, em meio ao dia-a-dia do trabalho médico. “Desde o primeiro ano de curso os acadêmicos estão em Unidades Básicas de Saúde com rotinas mais intensas do que em faculdades com método tradicional. Como a turma se divide em poucos alunos, a participação de cada um é muito importante para o grupo e a proximidade com o professor aumenta. Isso motiva e estimula a criatividade do estudante, promove o conhecimento sobre diferentes áreas médicas, garante a vivência da medicina na prática desde o início da graduação, estimula o aprendizado em equipe e incentiva à busca de diferentes maneiras de resolver um problema”, explica o diretor de Saúde do Grupo Tiradentes, Hesmoney Santa Rosa.

O método é aplicado em outras renomadas escolas médicas de todo o mundo, incluindo a Harvard Medical School, ligada à renomada Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.  E é bem assimilado pelos estudantes, que vêem no PBL uma ferramenta para ganhar autonomia e experiência no exercício da profissão. “O PBL estimula o aluno a buscar conhecimento e não esperar que o professor ensine. Claro que tem as orientações das aulas, mas é muito focado na proatividade do aluno. Isso, sem dúvida, foi fundamental para que eu conseguisse atingir meus objetivos”, considera o egresso Guilherme Soares, da Unit Aracaju, aprovado recentemente para a residência do Sírio-Libanês

Soma-se ao PBL a formação generalista e o uso de tecnologias de última geração, que equipam os laboratórios dos cursos de Medicina da Unit e da Fits. Um dos recursos mais avançados é o Centro de Simulação Realística, que proporciona ao estudante a capacitação em atendimento clínico e de urgência por meio de simulações altamente tecnológicas. 

Parcerias e contrapartidas

Outra estratégia bem sucedida de ensino é a parceria com hospitais, clínicas e outras instituições públicas e particulares da área de saúde dos estados onde o Grupo Tiradentes atua. Entre elas estão o Hospital de Cirurgia, em Aracaju, e o Hospital Veredas, em Maceió, instituições filantrópicas que atendem ao Sistema Único de Saúde (SUS). Além disso, os acadêmicos de Medicina do Tiradentes participam de projetos como o CMIRA (Competência, Mobilidade Estudantil, Internacionalização da Escola Médica e Avaliação), do Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa; e a Rede Universitária de Telemedicina (Rute), iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia que contribui para a inovação na educação em saúde, na colaboração a distância para pré-diagnóstico e na avaliação remota de dados de atendimento médico. 

A rede pública, inclusive, foi um dos fatores que impulsionaram a criação dos cursos de medicina em Estância e Jaboatão. Eles surgiram entre 2018 e 2020, a partir de um chamamento público do Programa Mais Médicos, do Governo Federal, que tem o objetivo de formar médicos em comunidades mais pobres e desguarnecidas de atendimento médico. As prefeituras das duas cidades abrem seus hospitais e postos de saúde para atividades práticas supervisionadas com os alunos, e recebem, como contrapartida, investimentos do Grupo Tiradentes com a compra de equipamentos para as redes municipais de saúde e a formação de profissionais, em valores equivalentes a 10% da receita do curso, bem como a cessão de bolsas de estudo para estudantes locais

“A Fits pretende ajudar na melhoria da estatística da saúde, construindo através da formação de médicos para a melhoria da qualidade de vida e o desenvolvimento da região. O curso atende integralmente as diretrizes curriculares nacionais para o curso de medicina e o projeto pedagógico contempla a integração com o cenário local. Os estudantes de medicina atuarão fortemente na região, terão vivências práticas desde o primeiro período na atenção primária e de acordo com a evolução da matriz curricular. A integração com a pesquisa e a extensão também proporcionarão uma visão mais ampla e competências e habilidades significativas no perfil do egresso Tiradentes”, garante a reitora da Unit Pernambuco e diretora da Fits, Vanessa Piasson.

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: