V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Mais de 150 equipes realizam intervenções extensionistas

Entre as intervenções realizadas, os alunos de direito promoveram atividades voltadas para o uso da tecnologia na educação e hora saudável.

às 12h42
Compartilhe:

Mais de 150 equipes formadas com alunos de diversos cursos da Universidade Tiradentes (Unit) participam de intervenções extensionistas em diversos pontos de Aracaju, Estância, Itabaiana e Propriá, na segunda unidade As atividades fazem parte do componente curricular Experiências Extensionistas I e II.

Entre as intervenções realizadas, os alunos de direito promoveram atividades voltadas para o uso da tecnologia na educação, hora saudável (alimentação e exercício físico) e patrulha dos animais com os estudantes do Colégio Estadual Jacintho de Figueiredo, no bairro Farolândia. Os temas trabalhados foram escolhidos de acordo com a necessidade local, visando os cuidados à população assistida.

“Esses alunos são todos do curso de Direito, mas a maioria das turmas são interdisciplinares. Tenho turma com estudantes de Arquitetura, Engenharia Civil e Mecatrônica, Enfermagem e Nutrição. Já tivemos equipes que trabalharam sobre autocuidado, higiene pessoal, educação sexual, a produção de brinquedos utilizando materiais reciclados, medo e ansiedade entre jovens. Então, assim, os temas são bem variados”, diz a professora preceptora de extensão da Unit, Roseli Pereira.

Além de ser importante para a população assistida, as disciplinas de Experiências Extensionistas I e II também contribuem para o aprendizado dos graduandos. “O modelo adotado pelo Grupo Tiradentes foi justamente uma carga horária muito ampla, 10% de todo o curso. Então, tem estudantes que vão passar por seis experiências extensionistas e eles começam já no segundo período do curso. Nesse primeiro momento, a ideia é justamente trabalhar comunicação, trabalho em equipe, empatia, responsabilidade, competências que não são técnicas, mas que são competências humanas e extremamente cobradas pelo mercado de trabalho”,

Segundo a coordenadora pedagógica do Colégio Estadual Jacintho de Figueiredo, Maria Helena Freitas de Santana, as atividades que os estudantes da Unit desenvolvem na escola auxiliam na manutenção do bem-estar do aluno. “É muito importante para a escola e os alunos porque abre novos horizontes para eles. Temos vários projetos acontecendo na escola. E isso desperta o interesse pelas coisas diferentes. Então, esses projetos são muito bem aceitas por eles. Os alunos amam”, conta.

Componente do grupo ‘Tecnologia na Educação’, a aluna do 4º período de Direito, Kettylin Alves, conta a ideia da intervenção. “Nossa ideia foi mostrar o lado ruim da internet. Por eles serem pré-adolescentes, não têm tanto acesso à internet ativa, então têm uma certa vulnerabilidade. Por isso, pensamos na exposição inadequada que eles poderiam sofrer ou até mesmo abusos. Mas tem também um outro lado bom para ensinar eles a estudar, assistir vídeo aulas, pesquisar… Então, trouxemos um pouco dos dois, tanto o lado ruim quanto o lado bom da internet”, destaca a estudante.

Para a estudante do 4º período de Direito, Maria Eduarda Torres, participar das experiências extensionistas agrega bastante conhecimento. “A gente vem pesquisando muito sobre vários pontos que não tinha conhecimento, até mesmo nas coisas que podem beneficiar as crianças, que é foco do trabalho da gente. Agora, tendo essa noção fica mais fácil ajudar todo mundo nesse projeto. Tem sido bem enriquecedor”, afirma.

 

Leia também: Curricularização da extensão para o EAD; entenda como funciona

Compartilhe: