V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Mapeamento e a prevenção de Desastres na perspectiva das Engenharias

Professor da Unit explica qual a atuação do Engenheiro no Mapeamento e Prevenção de Desastres nas cidades.

às 23h44
Imagem: Freepik
Imagem: Freepik
Construction Site silhouettes [Freepik]
Compartilhe:

Por Stefânia Leal e Raquel Passos

As engenharias exercem um papel crucial no mapeamento e prevenção dos desastres. O trabalho começa no planejamento com o foco na gestão de riscos. Pensando nisso e com o objetivo de prevenir desastres de maneira eficiente, o Marco de Sendai para Redução de Risco de Desastres 2015-2030 foi formalizado após longas discussões realizadas em Sendai, no Japão, em março de 2015.

O Marco, importante ferramenta para a redução de risco de desastres, possui cinco pilares que devem ser amplamente aplicados, são eles: a prevenção, a mitigação, a preparação, a resposta e a recuperação.

O professor dos cursos de Engenharia e coordenador do curso de pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho da Universidade Tiradentes, Arionaldo Rodrigues Menezes, elenca algumas ações executadas pelos profissionais de engenharia para a prevenção e contenção de desastres nas cidades.

“Construção e ampliação dos canais de drenagem, visando aumentar a capacidade de escoamento da água pluvial durante as chuvas de inverno; construção de muros de contenção em morros e encostas; mapeamento e mapeamento das áreas de risco; elaboração de Planos de Contingência contra desastres naturais; desassoreamento de rios e canais de drenagem e a capacitação de pessoas que residem em áreas de risco a como proceder durante as chuvas fortes”, lista.

O professor afirma que a prevenção de desastres está diretamente relacionada à compreensão sobre os aspectos de construção social do risco e da necessidade de uma ocupação do solo mais atenta a ameaças e vulnerabilidades.

A avaliação dos riscos necessita analisar a vulnerabilidade e qual suscetibilidade do local para o desastre. Essa avaliação é realizada por uma equipe multiprofissional, de preferência da defesa civil do município, como ressalta o coordenador Arionaldo.

“Essa equipe [multiprofissional] deve possuir um Engenheiro responsável, que tem como função avaliar o nível de risco. Os demais profissionais que fazem parte da defesa civil são escolhidos conforme a necessidade e o tipo de ocorrência, mas é possível encontrar outros profissionais de engenharia, como Eng. de segurança, Civil, ambiental, sanitária, elétrica, mecatrônica, cartógrafo, petróleo e técnicos de diversas especialidades”. 

Arionaldo reafirma a necessidade e o papel da engenharia na prevenção de desastres.

“O papel do profissional de engenharia na prevenção de acidentes, ações de resposta e recuperação tem sido fundamental para a eficácia dos trabalhos. Nos últimos anos, devido às alterações no comportamento da natureza, os eventos atmosféricos têm sido mais intensos, obrigando o poder público e a sociedade a adotarem uma nova mentalidade ambiental”.

 

Leia também:

“A Defesa Civil trabalha com risco e com vulnerabilidade”, diz engenheiro

Compartilhe: