V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Paimi no combate à gripe


às 19h34
Compartilhe:
Prevenção é sempre o melhor remédio!

Prevenção é sempre o melhor remédio!

Durante encontro realizado na tarde desta terça-feira, 23, na sala 6 do bloco C, Campus Aracaju Farolândia,  membros do Programa de Assistência Integral à Melhor Idade – Paimi – recebem a dose da vacina de combate à gripe.

Todos os anos as  53 senhoras que integram o Paimi são convidadas a tomar a dose única da vacina de combate à gripe atendendo assim a meta do governo que este ano pretende imunizar 2,5 milhões de pessoas em todo o País de um mal que pode levar ao óbito, especialmente quando acomete pessoas da terceira idade.

E mesmo sendo uma rotina na Unit, a coordenadora do Paimi, professora Zulnara Mota percebe que, aliado ao seu esforço de trazer para o conforto das idosas um posto particular de vacinação, elas mesmas já cobram a campanha por compreender a importância da imunização contra a doença.

A enfermeira Pauliana Vieira de Souza Santos, responsável pela aplicação das doses, lembra que este é o sexto ano que recebe o convite para fazer a campanha com os membros do Paimi. “É muito importante porque reduz o número de complicações, internações e até mortalidades causadas pelo vírus influenza”, lembra ela, dizendo que só há restrições à vacina, pessoas com sensibilidade ao ovo ou que tenham tido complicações na campanha anterior.

Joana Maria dos Santos foi uma das primeiras a tomar a dose da vacina na sede do Paimi. Ciente da importância, a moradora do Conjunto Augusto Franco, que frequenta as reuniões do grupo há quatro anos não deixa escapar a oportunidade de estar imunizada. O mesmo aconteceu com a senhora Adilza Maria dos Santos. Ciente dos cuidados com a saúde, ela recebeu a dose da vacina afirmando que não abre mão de repetir o gesto anualmente.

Em primeiro plano,  as senhoras Adilza e Joana

Em primeiro plano, as senhoras Adilza e Joana

Para quem não tomou a vacina no posto do Paimi, mas está dentro do que estabelece o Ministério da Saúde como grupos de risco, ela está disponível em todas as unidades de saúde do Estado. Têm direito idosos com mais de 60 anos, portadores de doenças crônicas, crianças entre seis meses e um ano, 11 meses e 364 dias de idade, mães que tiveram filhos a menos de 45 dias, gestantes, indígenas, trabalhadores da área de saúde e detentos do sistema carcerário.

Compartilhe: