V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Programa de Biotecnologia em rede recebe nota 6 na avaliação da Capes

Programa de Doutorado em Biotecnologia - Rede Nordeste de Biotecnologia - é considerado excelente. A Unit é a única instituição particular a fazer parte.

às 12h20
O coordenador de pós-graduação stricto sensu da Unit, doutor Álvaro Silva.
Compartilhe:

O Programa de Doutorado em Biotecnologia – Rede Nordeste de Biotecnologia (Renorbio) recebeu nota 6 na Avaliação 2017-2020 da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Doze universidades compõem a rede, entre elas a Universidade Tiradentes (Unit), única instituição particular do grupo. O objetivo é impulsionar o desenvolvimento do Nordeste, por meio de mais ação e investimentos na ciência e na tecnologia.

“Fazer parte de uma rede significa que nossos pares que fazem parte, nos reconhecem como uma instituição de qualidade para também estar presentes. Então, se você tem várias instituições federais e nós somos a única particular é porque eles reconhecem que nosso trabalho é importante e que, para além disso, temos índices de uma instituição de qualidade para oferecer, inclusive, chancelar diploma”, diz o coordenador de pós-graduação stricto sensu da Unit, doutor Álvaro Silva.

O programa de Doutorado da Renorbio é composto por quatro áreas de concentração: Biotecnologia em Agropecuária, Biotecnologia em Saúde, Biotecnologia em Recursos Naturais e Biotecnologia Industrial. Cada estado componente possui uma ou duas instituições nucleadoras que são responsáveis pela emissão dos diplomas dos alunos daquele estado.

Para ser uma nucleadora, aprovada pela Capes, a instituição deve ofertar pelo menos um curso de doutorado na área de Biotecnologia (ou afim), docentes permanentes compatíveis para a execução das atribuições das nucleadoras, e ao menos um deles, bolsista de produtividade em Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Fazem parte da Renorbio os professores doutores Claudio Dariva, Diego Silva Menezes, Juliana Cordeiro Cardoso e Margarete Zanardo Gomes. Os laboratórios vinculados são: Núcleo de Estudos em Sistemas Coloidais (Nuesc), Laboratório de Morfologia e Patologia Experimental (LMPE), Laboratório de Biologia Molecular (LBM) e Laboratório de Biomateriais (LMat).

Desde o início da Renorbio, a Unit já soma 45 patentes, entre elas: filmes poliméricos contendo extrato de mangaba contra bactérias multirresistentes, formulação fotoprotetora a base de própolis vermelha e uso do óleo essencial de Cymbopogon winterianus para tratamento da fibrose pulmonar.

Renorbio

O Programa de Doutorado em Biotecnologia – Rede Nordeste de Biotecnologia (RENORBIO) foi credenciado pela Capes em 2006, com conceito 5. A primeira medida formal para integrar a Região Nordeste pela Biotecnologia ocorreu em agosto de 2003, ao ser firmado o Protocolo de Cooperação entre os Secretários de Ciência e Tecnologia dos Estados do Nordeste dando o total apoio à Rede Nordeste de Biotecnologia – Renorbio. Na sequência, em 2004, foi criada a Rede, através da Portaria MCT nº 598, de 26/11/2004, publicada no Diário Oficial da União em 30/11/2004, Seção I, pág. 16, definindo sua estrutura e mecanismo de operacionalização no âmbito do MCT (atual MCTIC).

 

Leia também: PPED consolida-se como um dos melhores do Norte-Nordeste

Compartilhe: