V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Saúde digital: teleconsulta é uma realidade durante pandemia

Para o professor do curso de Medicina da Unit, doutor Ronald Barreto, a teleconsulta encurta distâncias físicas e aumenta a acessibilidade à saúde.

às 15h29
Compartilhe:

A pandemia do novo coronavírus ligou um alerta para a população de forma geral e os cuidados com a saúde passaram a ser mais constantes. Em pouco tempo, muitos setores precisaram se reinventar e as consultas presenciais deram espaço à teleconsulta. Com isso, além do conforto, o atendimento médico a distância proporcionou mais segurança e maior rapidez àqueles que procuravam pela nova opção.

A novidade foi regulamentada pela Lei nº 13.989, de 15 de abril de 2020 que autorizou o uso da telemedicina enquanto durar a crise ocasionada pelo coronavírus.“A teleconsulta não é uma novidade, mas a pandemia acelerou o processo de regulamentação. Nós ganhamos segurança jurídica para atender os pacientes. Com isso, proporciona maior conforto e segurança realmente para esses atendimentos sem o risco de extravasamento, de informações sigilosas que o atendimento médico exige”, comenta o professor doutor Ronald Barreto, coordenador do internato do curso de Medicina da Universidade Tiradentes.

Para o médico, a segurança durante o atendimento é um ponto extremamente relevante com a regulamentação. “As plataformas registram todo o atendimento mantendo uma linha ética de cuidado entre o médico e o paciente”, destaca

Dr. Ronald enfatizando que, além dos pontos positivos, a mudança também traz alguns desafios.

“As pessoas tinham uma antiga crença que, para ter o atendimento médico, tinha que ter o contato presencial. Mas, com esta modalidade, é possível realizar uma consulta por videochamada, fazer uma boa avaliação e orientar os pacientes”, declara.

“O maior obstáculo é o acesso da população que tem sido mitigado à medida que as pessoas vão se familiarizando com as videochamadas e uso de smartphones. Além disso, o teleatendimento é uma grande ferramenta e nosso desafio é treinar os médicos para essa nova realidade para que a gente consiga manter a qualidade de atendimento mesmo não sendo presencial”, complementa.

Além de encurtar distâncias físicas, a teleconsulta aumenta a acessibilidade à saúde.

“Com a teleconsulta, o profissional consegue fazer a triagem, acelera o atendimento e aumenta a possibilidade de atender mais pessoas, além de esvaziar as emergências. O médico faz uma avaliação prévia e na parte presencial o paciente utiliza para um exame complementar para chegar ao diagnóstico”, finaliza.

 

Leia mais:

Edital: cadastro reserva para profissionais da rede municipal de saúde

Compartilhe: