V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Aberto o 2º Simpósio Interdisciplinar em Saúde e Ambiente da Unit

Destinado a discutir questões que perpassam diversas áreas do conhecimento, evento reúne mestrandos e doutorandos

às 00h48
O doutor Gilberto Cezar discorre sobre  o desafio da interdisciplinaridade
O doutor Gilberto Cezar discorre sobre o desafio da interdisciplinaridade
Doutores e doutorandos participam do evento
A doutora Cláudia apresenta o conferencista
Compartilhe:

Com uma programação recheada por significativas conferências, mesas redondas e minicursos foi aberta oficialmente na noite desta segunda-feira, 23, no auditório A do bloco G, no Campus Aracaju da Farolândia o 2º SIRSA.

Idealizado pelo programa de Pós-Graduação em Saúde e Ambiente, o simpósio discute entre outros relevantes temas, a questão da crise hídrica que tanto permeia e influencia no cotidiano dos indivíduos.

Segundo a coordenadora do programa, doutora Cláudia o momento representa para a academia um momento ímpar de discussões interdisciplinares. “O SIRSA é uma proposta que nasceu como uma demanda da Capes para programas interdisciplinares que desenvolvam pesquisas na área de Saúde e Ambiente. O evento tem o objetivo de congregar pesquisadores que desenvolvem estudos nessa área para discutir e refletir sobre diversas questões, entre elas, ambientais, de enfermidades e agravos de impacto regional e estudos de biodiversidade e saúde”, justifica a doutora.

O coordenador do Simpósio, doutor Rubens Riscala lembra que o evento integra o programa de pós-graduação e por ser interdisciplinar envolve várias áreas do conhecimento. “A programação foi toda voltada para contemplar as três linhas de pesquisa do programa: ambiente, saúde e sociedade; enfermidades e agravos de impacto regional e biodiversidade e saúde”, explica o docente lembrando que ao longo da semana todas as linhas serão discutidas através de palestras, minicursos e mesas redondas.

Ao ser questionado sobre a importância do evento, o conferencista de abertura, doutor Gilberto Cezar Pavanelli (UEM/UNICESUMAR) que trouxe como tema O desafio da interdisciplinaridade na formação de recursos humanos salientou que o tema é extremamente árido, mas, que precisa ser abordado. “A transdisciplinaridade é uma maneira nova que a Capes está incentivando os programas a adaptarem para que possamos fazer algo muito mais integrado do que era antes. Isso precisa ser muito discutido através de uma participação efetiva e o interesse de todos nesse tema”, argumenta o palestrante.

Em outras palavras, significa que não há quem possa, de forma isolada, resolver qualquer problema e o doutor Gilberto exemplifica com o acidente ocorrido recentemente em Minas afetando diretamente o Rio Doce. “Antigamente você imaginava que um único profissional pudesse resolver, mas, não é assim. Temos de unir todas as inteligências, entrelaça-las, para que possamos obter resultados satisfatórios. O trabalho deve ser feito em harmonia entre todos os envolvidos, o que nem sempre é possível devido vaidades pessoais com cada um achando que a sua área é mais importante que a outra, além dos métodos específicos de trabalho. Com a interdisciplinaridade isso desaparece pois temos de ter um objeto único de estudo e o foco é esse objeto único e não as pessoas”, esclarece o doutor Gilberto.

Para ver mais fotos de Marcelo Freitas, clique aqui.

Compartilhe: