V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Prêmio Jabuti 2015

Livro organizado por professora da Unit em parceria com docente da UERJ é um dos finalistas da premiação mais tradicional da literatura brasileira

às 13h17
O livro “Facebook e educação: publicar, curtir, compartilhar”, organizado pelas professoras Cristiane Porto, da Universidade Tiradentes – Unit –, e Edméa Santos, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ –, é um dos dez finalistas do Prêmio Jabuti 2015, na categoria Educação e Pedagogia. Criado em 1958, o Jabuti é o mais tradicional concurso de literatura do Brasil.
Entre os finalistas, livro já recebe selo da CBL
Entre os finalistas, livro já recebe selo da CBL
Cristiane Porto é professora, editora científica e diretora da Edunit
Compartilhe:

Lançada pela Editora da Universidade Estadual da Paraíba – EDUEPB –, a obra reúne, em 445 páginas, textos sobre diversos aspectos da integração do facebook em contextos educacionais. Os artigos são assinados por especialistas do Brasil e de Portugal, entre eles Cristiane e Edméa. O livro é resultado do Programa de Mobilidade Acadêmica – Promob – financiado pela Capes e pela Fapitec, numa parceria da Unit com a UERJ e a UFBA.

“O principal objetivo do projeto foi compreender como as tecnologias digitais e a mobilidade ubíqua (termo usado para descrever a onipresença da informática na vida das pessoas) poderiam contribuir para a formação de professores e o desenvolvimento de práticas educativas diversas, uma vez que na cibercultura nos deparamos com diversos fenômenos educacionais e culturais em emergência”, explicam as organizadoras, no texto de apresentação da obra.

O Jabuti

Promovido pela Câmara Brasileira do Livro – CBL –, o Jabuti tem na sua abrangência o maior diferencial em relação a outros prêmios de literatura: valoriza não só escritores, como a qualidade do trabalho de todas as áreas envolvidas na criação e produção de um livro. Em sua 57ª edição, contempla 27 categorias.

Anualmente, editoras dos mais diversos segmentos e escritores independentes de todo o Brasil inscrevem milhares de obras em busca da tão cobiçada estatueta e do reconhecimento que ela proporciona. Receber o Jabuti é um desejo acalentado por todos aqueles que têm o livro como seu ideal de vida.

É uma distinção que dá ao seu ganhador muito mais do que uma recompensa financeira. Ganhar o Jabuti representa dar à obra vencedora o lastro da comunidade intelectual brasileira, significa ser admitido em uma seleção de notáveis da literatura nacional.

Um corpo de jurados altamente especializado, composto por profissionais com ampla bagagem em suas respectivas áreas de atuação, faz a análise das obras. A contagem dos votos é feita em sessões abertas ao público e dividida em duas etapas. Na primeira sessão pública, são selecionadas as 10 melhores obras em cada umas das 27 categorias.

A segunda sessão, marcada para o dia 19 de novembro, define os três primeiros lugares de cada categoria. A cerimônia de entrega aos vencedores do Prêmio Jabuti 2015 será realizada em 3 de dezembro de 2015, no Auditório Ibirapuera, em São Paulo. Na cerimônia de premiação e entrega das estatuetas, são revelados os Livros do Ano de Ficção e Não-Ficção, momento mais aguardado por todos aqueles que concorrem ao Prêmio, pelo mercado editorial e pela mídia especializada. Os livros são escolhidos pelo voto dos jurados e de profissionais do mercado editorial.

As organizadoras

Cristiane Porto é licenciada em Letras pela UEFS, mestre em Letras e Linguística e doutora em Cultura e Sociedade pela UFBA. Atualmente, é pesquisadora colaboradora do Instituto de Tecnologia e Pesquisa – ITP –, docente do Programa de Pós-Graduação em Educação e editora científica da Unit e diretora da Editora Universitária Tiradentes – Edunit. É Líder e pesquisadora do Grupo de Pesquisa Educação, Tecnologia da Informação e Cibercultura – GETIC/CNPq. Dedica-se ao estudo de cibercultura, disseminação e divulgação da ciência em suporte online e impresso, além de membro efetivo da ABNT no Comitê Brasileiro 14 – Informação e Documentação.

Já Edméa Santos é pedagoga, mestre e doutorada em Educação pela UFBA, professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da UERJ. Líder do Grupo de Pesquisa Docência e Cibercultura – GPDOC/CNPq, membro do Laboratório de Imagem da UERJ e do GT 16 “Educação e Comunicação” da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação – Anped – e da Associação de Pesquisadores em Cibercultura – ABCIBER. Atua nas áreas de educação e cibercultura, formação de professores e pesquisadores, informática na educação, educação online, EAD, currículo, didática, pesquisa e práticas pedagógicas.

Compartilhe: