V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Blockchain na educação: como funciona e qual será o futuro do ensino

Administradora do portal AVA explica como uma ferramenta do mercado financeiro pode ser aplicada no ambiente educacional

às 20h35
Compartilhe:

Quando o assunto é blockchain, muitos associam às criptomoedas e os famosos bitcoins que não necessitam de bancos para funcionarem. Entretanto o Blockchain não se resume apenas às criptomoedas. Na verdade, ele é um banco criptografado de forma descentralizada onde computadores em redes guardam blocos de transações. 

“Para que fique mais claro, o blockchain funciona como uma costura, você não consegue puxar blocos do meio da cadeia, sem afetar os demais blocos. Assim como numa costura, se puxar o fio de um tecido, toda costura em sequência é afetada. Vale reforçar que os computadores em rede contém cópias de todos os blocos, ou seja, as informações de registros estão distribuídas em vários servidores e para alterar ou excluir uma informação é necessário alterar em todos os servidores. Se um servidor for destruído ou hackeado, as informações estarão registradas em outros locais”, explica a administradora do portal do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), Flávia Caroline dos Santos

A educação pode aproveitar essa tecnologia de diversas maneiras. Com o blockchain é possível oferecer funcionalidades para as instituições e para os alunos, permitindo que diplomas e certificados sejam emitidos e validados por meio da internet, sem restrições geográficas ou a necessidade de um documento físico, facilitando a vida dos alunos e também de empresas interessadas nos estudantes, já que o processo de seleção é agilizado e a possibilidade de fraudes diminuída.

Blockchain na educação

Os pagamentos dos alunos para a instituição podem ser facilitados com o uso do Blockchains que possibilitam a emissão de vouchers criptografados, podendo ser usados como créditos financeiros, facilitando a transação e trazendo mais segurança. Além desses fatores, existem outras vantagens como:

  • Aumento da segurança das informações
  • Desmaterialização de documentos
  • Preservação de acervos digitais

A Universidade Tiradentes (Unit), por meio da modalidade de Educação a Distância (EAD), tem buscado a cada dia mais inovação em diversas áreas que farão parte do futuro da educação. Dentre as ações já realizadas nesse sentido, estão a análise comportamental de alunos e professores usando dashboards, realidade aumentada e acessibilidade.  

Segundo Flávia, chegará um momento em que será possível entrar em um supermercado de forma virtual e fazer compras, além de conhecer a universidade e fazer a matrícula por meio do metaverso, também será possível comprar um imóvel que que foi visitado por meio da tecnologia. E mais uma vez, será na validação da compra que o blockchain irá atuar. 

“Algumas empresas já estão construindo projetos voltados para o metaverso(que está incluso no conceito da web 3.0), como Facebook, Microsoft, faculdades de Medicina, empresas imobiliárias. Nele é possível participar de reuniões, interagir com hologramas, e até mesmo fechar negócios nesta tecnologia altamente imersiva. E são nessas situações que entram o blockchain, para validar as informações, tornar contratos, transações de um modo geral confiável”, destacou.

Leia também: Conselheiro do CNE debate propostas sobre ensino híbrido

Compartilhe: