V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Cursos EAD podem ajudar quem deseja entrar no mercado da tecnologia

Diante do constante avanço tecnológico, a demanda por profissionais da área cresce a cada dia no mercado e a procura por cursos voltados para a tecnologia também

às 13h46
Foto: Freepik
Foto: Freepik
Compartilhe:

Dar início a uma carreira profissional ou se reinserir no mercado de trabalho tem sido um grande desafio para muitos brasileiros, isso porque na maioria das vezes, ter um curso superior completo é uma das maiores exigências do mercado de trabalho. Entretanto, hoje, é possível diminuir essa barreira graças a Educação a Distância (EAD).

Antigamente, as pessoas adiavam o sonho de ter um diploma por inúmeros motivos, seja por falta de tempo, valores inacessíveis, entre outros. Com a educação a distância ter um diploma de ensino superior tem sido cada vez mais fácil devido a flexibilidade de horários, autonomia do aluno e custo benefício. Além disso, a modalidade oferece cursos que estão em alta no mercado de trabalho, sendo eles os cursos tecnológicos, que possuem inúmeras vantagens.

 “A formação rápida é uma das maiores vantagens do curso de graduação tecnológica. A duração varia de dois a três anos e a carga horária depende do projeto pedagógico do curso, podendo ser de 1600 a 2400 horas, mais as atividades extras, trabalho de conclusão do curso (TCC), ou estágio”, explica o coordenador pedagógico dos cursos tecnológicos da Universidade Tiradentes (Unit), professor Paulo César Barbosa. 

Graduação e planejamento de carreira

O redirecionamento profissional é outro benefício desse tipo de graduação, pois segundo o coordenador, há uma grande procura por esses cursos por parte de pessoas que já estão no mercado de trabalho, mas ainda não têm diploma superior e desejam valorizar o currículo, ou mesmo gostariam de fazer uma mudança de carreira. 

Na Universidade Tiradentes, os cursos tecnológicos têm duração máxima de dois anos e meio; o que permite que o aluno conclua seu curso superior em menor tempo. Por serem mais curtos e mais focados na prática, podem ser uma boa opção para quem tem uma ideia definida de carreira.

“Os cursos tecnológicos, ao contrário do que muitos pensam, não são cursos técnicos. Ao concluir uma graduação tecnológica, o aluno recebe um diploma de nível superior e pode, inclusive, utilizá-lo para ingressar em programas de pós-graduação do tipo lato sensu (especialização) e stricto sensu (mestrado e doutorado). O diploma também vale como comprovação de formação superior para prestar concursos públicos”, ressalta Paulo César.

Mercado de trabalho

Os cursos superiores de tecnologia, como também são conhecidos, são graduações de nível superior com foco voltado a determinada área de atuação. Elas são mais curtas do que os bacharelados, mas possuem uma empregabilidade extremamente elevada.

“Muito populares no Brasil, essas graduações estão ganhando cada vez mais espaço no mercado de trabalho, inclusive em posições estratégicas. Vale lembrar que o salário do profissional não depende apenas do curso superior, mas sim de suas características pessoais, qualificações, experiência, região do país e porte da empresa contratante, entre outros fatores”, afirma.

Leia também: A gerontologia e sua importância no cuidado com os idosos

Compartilhe: