V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Engenharia de Produção: graduação, carreira e mercado de trabalho

Os estudantes dessa área aprendem sobre elétrica e mecânica e são estimulados a desenvolver habilidades úteis para liderar mudanças e buscar a solução de problemas.

às 14h53
Foto: Freepik
Foto: Freepik
Compartilhe:

A Engenharia de Produção é o ramo que trabalha para otimizar e implementar novos sistemas e produtos, visando trazer melhores resultados para as empresas. O engenheiro de produção não se preocupa em apenas criar e produzir o produto e, sim, com toda a mecanização e otimização do sistema, tornando a Engenharia de Produção indispensável para aumentar a produtividade das empresas.

O curso é oferecido pela Universidade Tiradentes (Unit) e está presente nas duas modalidades: presencial e na Educação a Distância (EAD). Distribuído em 10 semestres (5 anos), a graduação tem como objetivo formar profissionais habilitados ao projeto, operação, gerenciamento e melhoria de sistemas de produção de bens e serviços, integrando aspectos humanos, econômicos, sociais e ambientais. Nessa perspectiva, o aluno aprende a trabalhar gerenciando e otimizando as seguintes áreas organizacionais: operações e processos de produção, logística, qualidade, produto, pessoas, economia, meio ambiente.

Mercado de trabalho e carreira

De acordo com o professor da Unit, Douglas de Moura, essa profissão possui grande importância para a sociedade. “O Engenheiro de Produção possui sólida formação científica e profissional, tem capacidade de identificar e solucionar problemas ligados a atividades de projetos, operações e gerenciamento do trabalho e de sistemas de produção de bens e serviços, considerando aspectos humanos, sociais, ambientais, econômicos, com visão ética e humanística, dessa forma, dando imensa contribuição para a sociedade”, aponta.

O campo de atuação dessa área é vasto. “Pela pluralidade do curso, o Engenheiro de Produção pode atuar em diversos seguimentos: Industrial, saúde (hospitais, clínicas), varejo e atacado (lojas), operadores logísticos (transporte, distribuição, compras, estoques), auditorias (ISO 9001, 14001, 18001), projetos, administrativo (financeiro, custos), tecnologia, gestão de processos, entre outros”, contempla.

O professor ainda ressalta que ao longo dos últimos anos, pode-se observar uma carência bastante grande de profissionais nessa área, e também das demais engenharias, em todo o país. “A profissão é regulamentada pela lei federal 5194/66, o que exige registro no CREA para atuação profissional, e por proporcionar um leque enorme de atuação profissional, tem enorme perspectiva positiva de carreira”, explica Douglas.

Douglas atua na indústria há 38 anos, e como Engenheiro de Produção há 12 anos. Ao longo deste tempo, ele trabalhou prestando consultoria em outras empresas. “Tivemos oportunidade de desenvolver na indústria onde trabalho diversos projetos como: implantação de ERP, endereçamento de estoques, planejamento e controle da produção, automatização de pedidos de venda, mapeamento de processos, planejamento orçamentário, implantação de indicadores de desempenho”, infere.

Engenharia de Produção EAD

O curso que também está presente na modalidade a distância, dispõe da mesma grade curricular do ensino presencial e conta com o corpo docente de mestres e doutores qualificados para preparar os alunos para o mercado. “O EAD é importante porque promove a educação no mais amplo movimento informativo. Isso porque o AVA é, essencialmente completo, no sentido de oportunizar o compartilhamento do conhecimento nos mais diferentes formatos, sendo possível ainda, acompanhar a participação, acessos, do aluno no espaço educativo, bem como, verificar, em tempo real o desempenho do estudante diante das atividades propostas no AVA”, finaliza.

Leia também: Aprenda a driblar alguns dos desafios do EAD

Compartilhe: