V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Unit sedia a 1ª Jornada de Estudos do Cangaço

O evento em parceria com a Fundação Aperipê segue até a quarta-feira com um ciclo de palestras para quem quer se aprofundar no assunto

às 18h50
Compartilhe:

Quem é nordestino deve conhecer ou já ouviu falar pelo menos uma vez sobre Virgulino Ferreira da Silva, o famoso Lampião. Um dos principais nomes de um movimento social ocorrido no sertão nordestino durante o fim do século 20 e início do século 21, denominado cangaço. Os cangaceiros, com seus chapéus de abas largas, roupas de couro enfeitadas, punhais e armas de fogo na cintura, atuavam em cidades dos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia.

Pensando em debater sobre esta importante parte da cultura nordestina, a Universidade Tiradentes (Unit) em parceria com a Fundação Aperipê e a Universidade Federal de Sergipe (UFS) está promovendo a 1ª Jornada de Estudos do Cangaço repleta de palestras acerca do assunto, voltada para os estudantes da modalidade presencial e de Educação a Distância (EAD) dos cursos de licenciatura em História, Pedagogia, Letras- Português e para quem mais possa interessar.

“Acredito que Sergipe contribui muito pouco com a historiografia do cangaço nordestino, apesar de ter tantos escritores e pesquisadores. Então eu acho que existe uma escassez de evento com esse teor, foi pensando nisso que eu resolvi ter essa iniciativa e trazer a 1ª Jornada de Estudos do Cangaço para que as pessoas possam conhecer ainda mais essa história rica em cultura da nossa região”, conta o historiador e organizador do evento, Walter Albano.

Os temas das palestras do primeiro dia foram batalhas da memória do cangaço e a estética do cangaço, ministradas pelo professor, Dr. Fernando Sá e pela professora, Dra Germana Araújo que tiveram como tema de suas pesquisas o cangaço. “Eu ficava bastante curiosa exatamente porque o diálogo direcionava sempre a ideia de que o elemento utilizado por Lampião tinha um significado herdado, então o início da minha pesquisa surge pela inquietação de entender o processo de recepção dessa aparência do cangaceiro”, diz a professora, que abordou o tema a estética do cangaço.

A coordenadora operacional do curso de Pedagogia da Unit, Catharine Prata menciona a importância que essas palestras possuem não só para os que estudam o assunto como para toda a população em geral. “É de extrema importância por ser um evento que trata da cultura, de um marco cultural e movimento social que foi o cangaço. Para os nossos alunos que estão se formando e vão ser futuros professores, essa temática traz para eles uma noção da nossa identidade para que eles possam trabalhar também em sala de aula e fazer com que nossos estudantes tenham essa consciência”, afirma a coordenadora.

Programação

O evento acontece até a quarta-feira, 24, no auditório do bloco C do Campus da Unit Farolândia às 18h. 

23/08 Tema – As Mulheres no Cangaço

Historiador João de Souza Lima/ Participação das Pesquisadoras e Escritora: Elane Marques e Maria Otília

Mediação – Jornalista Beneti Nascimento

24/08 Tema – A atuação das Forças Volantes na Bahia

Tenente Coronel Raimundo Marins

Tema – A atuação das Forças Volantes em Alagoas

Tenente Coronel Marcelo Rocha

Tema – A atuação das Forças Volantes em Sergipe

Dr. Archimedes Marques

Mediação – Kiko Monteiro

Leia também: Demanda pelo EAD cresce em 59% em relação aos anos anteriores

Compartilhe: