V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Abertura da Semex emociona público

Considerado como o evento mais importante no calendário extensionista da universidade, a Semana de Extensão é aberta oficialmente com apresentações artísticas

às 19h31
Palestras, exposições, minicursos são algumas das atrações de toda esta semana no calendário extensionista da Unit
Representando o reitor da Unit, professor Temisson abre a Semex
Representando o reitor da Unit, professor Temisson abre a Semex
Espetáculo presta homenagem ao Mestre Euclides
Cadeirantes emocionam o público durante apresentação
De pé, o público canta o Hino Nacional
O coordenador de Extensão, professor Geraldo reconhece o trabalho da equipe
A professora Pureza, coordenadora de Enfermagem recebe o certificado do projeto classificado em 3º lugar
No centro, a professora Pureza acompanha a premiação dos alunos no 2º lugar
O 1º lugar ficou com o curso de Direito
O conferencista de abertura da Semex, professor Lucas França Garcia
Compartilhe:

Tido como o momento de a IES sergipana prestar contas com a sociedade sobre tudo o que desenvolve por meio de projetos idealizados pelos acadêmicos e executados de forma prática em comunidades, associações e até mesmo grupos sociais, o programa que contempla a 11ª versão da Semex sensibilizou o público já na sua abertura oficial.

Ocorrida na noite dessa segunda-feira, 20, no Teatro Tobias Barreto, a abertura da Semex pegou o público pela emoção com a apresentação de dois grupos de dança. O primeiro deles, formado por alunos da Unit, apresentou um espetáculo que reverencia a memória do Mestre Euclides, um dos mais significativos representantes da cultura popular. O segundo, um espetáculo apresentado pela Companhia de Dança Loucurarte, tocou em cheio no emocional da plateia, uma vez que o grupo é composto, em parte, por cadeirantes.

Após as apresentações, usaram das palavras para abertura oficial da Semex o Superintendente Acadêmico Temisson José dos Santos e o Coordenador de Extensão da Universidade, professor Geraldo Calasans. Ambos salientaram que durante toda esta semana alunos e a comunidade em geral têm a oportunidade de participar de mais de 83 palestras e 200 minicursos distribuídos entre todos os cinco campi da Unit e transmitidos por meio de videoconferências para os 31 polos de educação a distância em cinco estados.

“Extensão nada mais é do que a aplicação do conhecimento gerado através da pesquisa, conhecimento esse que é disseminado entre os estudantes através do ensino em seus diversos níveis e que retorna para a sociedade por meio da atividade extensionista”, pondera o professor Temisson quando se refere ao tripé ensino, pesquisa e extensão que lastreia a formação universitária.

“A extensão é o tripé que leva à comunidade o que é aprendido dentro da instituição com o objetivo de contribuir da melhor forma com a sociedade”, acrescenta o coordenador de Extensão, professor Geraldo Calasans.

Ao discorrer sobre o tema motor da 11ª Semex, “Extensão universitária: caminhos para a alteridade”, o sociólogo e etnógrafo, mestre e doutorando em Ciências Médicas e Bioética pela UFRGS Lucas França Garcia abriu uma discussão entre os participantes sobre o conceito de universidade moderna. “Entendendo o conceito podemos compreender o contexto em que surge no Brasil a ideia de uma universidade centrada no tripé ensino, pesquisa e extensão”, disse o palestrante que continuou sua fala apresentando ideias sobre alteridade. O professor Lucas França finalizou sua conferência com uma abordagem da alteridade propriamente dita enquanto imperativo ético na extensão universitária.

 

Premiação aos melhores projetos

Como parte da programação de abertura da 11ª Semex, foi divulgada a relação dos projetos desenvolvidos em 2016. O primeiro lugar coube ao acadêmico do curso de Direito com o projeto de extensão intitulado “Conscientização eleitoral nas escolas”, da professora orientadora Maria Luiza Figueiredo Heine, e das alunas Ana Carolina Guedes, Ana Luiza Dias Lins e Cibele Vasconcelos de Albuquerque.

A segunda colocação foi para o prêmio de extensão intitulado “Projeto relato de experiência: acadêmicos de plantão na luta contra o Aedes Aegypti – saúde na comunidade” da professora orientadora Ângela Maria Melo Sá Barros e dos alunos José Hunaldo Grabrieli de Andrade, Daysiane Rodrigues, Natália Aragão, Evany Rosário, Elaine Ferreira, Islaine Monise, Juliane Cunha e Soyara de Almeida.

O terceiro lugar foi para o projeto “Relato de experiência: acadêmicos de plantão na luta contra o Aedes Aegypti – saúde na comunidade” da professora orientadora Flávia Resende Diniz Acioly e dos alunos Amanda Alves, Isabele Cardoso, Júnior Batista, Maria Grazieli, Mireli Mayara, Nadjane Santos, Naiane Gabrieli, Rafaela Dias e Renata Góis.

Compartilhe: