V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Acessibilidade reúne professores e acadêmicos até esta quinta-feira, 26

A Coordenadora do Núcleo de Apoio Pedagógico e Psicossocial (Napps), Kátia Maria, explicou a importância do evento e destacou que a Unit busca promover inclusão entre os alunos, a exemplo do material didático adaptado às alunas com deficiência auditiva e visual

às 22h03
Eliúde Araújo Fontes faz terapia ocupacional na UFS de Lagarto e veio acompanhar o Congresso
Compartilhe:

Até amanhã (26), a Universidade Tiradentes debate acessibilidade e inclusão no I Congresso de Acessibilidade, Políticas Públicas e Inclusão – da educação infantil ao ensino superior: avanços e desafios. O evento ocorre no campus Farolândia e atrai acadêmicos de diversas áreas, professores e público em geral.

Nesta terça-feira (24), durante abertura, a Coordenadora do Núcleo de Apoio Pedagógico e Psicossocial (Napps), Kátia Maria, explicou a importância do evento e destacou que a Unit busca promover inclusão entre os alunos, a exemplo do material didático adaptado às alunas com deficiência auditiva e visual.

 “No plano de ação da Universidade está a realização do congresso. Além disso, é do interesse da Instituição trabalhar a pauta da inclusão, temos que abrir para estudantes, professores. Hoje, tivemos dois minicursos de audiodescrição e de cognição foram muito produtivos. Até quinta, são só mesas redondas nos três turnos. Estamos em um processo no qual é preciso que todos discutam acessibilidade e pratiquem acessibilidade. Temos que preparar corpo docente, discente e colaboradores. A universidade está se adaptando para isso”, afirmou.

Eliúde Araújo Fontes faz terapia ocupacional na UFS de Lagarto e veio acompanhar o Congresso como forma de enriquecer seu currículo acadêmico. “Esse é um tema pouco discutido e minha linha de pesquisa é nessa área. Acho que esse congresso tem muito a acrescentar na pesquisa e na minha vivência. A inclusão e acessibilidade não se restringe a área de saúde e de educação, temos que ampliar o debate”.

Na avaliação do presidente do Conselho de Pessoas com Deficiência, Antônio Luís dos Santos, a iniciativa verbaliza oportunidades para as pessoas com deficiência porque mostra a Unit como um espaço de acolhimento e de inclusão.

“Essa é uma atitude desbravadora da Unit, que traz a acessibilidade para o mundo acadêmico. O mundo acadêmico é importante para nós porque ele forma novos profissionais, que sairão da Universidade com conceitos de inclusão e de acessibilidade, ou seja, esses profissionais serão nossos parceiros na construção de um mundo acessível, sem barreiras arquitetônicas e atitudinais”, declarou pontuando que Sergipe possui 500 mil pessoas com deficiência. “Boa parte dessas pessoas não saem de casa porque acredita que não será bem recebida. Quando a Unit discute o tema, ela manda a mensagem de que podemos estar aqui, estudando sem as limitações que comumente encontramos”.

Na ocasião, o coordenador de Extensão, professor Geraldo Calazans representou o reitor Jouberto Uchôa e a professora Mônica Maria palestrou sobre Justiça Restaurativa na Prática Pedagógica.

Para participar do Congresso, basta efetuar inscrição no site: www.unit.br/eventos.

Compartilhe: