V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Amamentar é um ato de amor

Na Semana Mundial do Aleitamento Materno, profissionais e estudantes da área da Saúde levam informações e orientações quanto à importância da amamentação

às 15h47
Joice Kelly dos Santos é uma mãe de “segunda” viagem. Tinha acabado de receber alta por dar à luz a pequena Julia Valentina. Do seu primeiro filho, amamentou até os dois de idade. Para a recém-nascida, ela pretende amamentar, no mínimo, até os seis meses, exclusivamente de leite materno. “Acredito que é muito importante porque combate a muitas doenças. O amor verdadeiro que a gente sente, não tem dinheiro no mundo que pague”, conta a mãe.
Compartilhe:

Em alusão à Semana Mundial do Aleitamento Materno, docentes, profissionais de saúde e acadêmicos do curso de Medicina e Enfermagem da Universidade Tiradentes estão mobilizados para conscientizar as mulheres e familiares quanto à importância da amamentação exclusiva. Na manhã de ontem, 31, todos estiveram reunidos e visitaram leitos da maternidade Santa Isabel levando informações para mães e acompanhantes.

“A gente vem chamando a atenção das mães e inserindo o conceito maravilhoso de saúde que é o aleitamento materno exclusivo até os seis meses, sem água, chupeta, chá, mamadeira, nada. Basta o peito, não precisa complementar. O bebê que mama no peito, absorve tudo de bom que tem no leite materno. É uma criança que vai ter mais amor para a mãe e a mãe mais amor para ela”, declara a professora do curso de Medicina, Izailza Matos, pediatra e neonatologista, presidente do Comitê de Aleitamento Materno da Sociedade Sergipana de Pediatria.

“A amamentação exclusiva até os seis meses vai fazer com que a criança adoeça menos e tenha uma expectativa de vida mais longa. Essa saúde não é só para o bebê, pois também vai para a fase adulta que vão ter menos problemas do coração, hipertensão, diabetes, colesterol alto, entre outros problemas de saúde”, explica a médica.

Para este ano, a campanha traz como tema “Todos juntos pela amamentação”. Com isso, a ação agrega a participação de estudantes da área da Saúde. “A gente tem que começar esta mobilização na academia. A educação é tudo de um povo e estamos ampliando esta iniciativa aos nossos alunos”, observa a professora Izailza que juntamente com a professora  Silvia Atanásio desenvolvem a programação.

“É muito importante esta participação em projetos de extensão como este porque desde o começo do curso vamos aprender mais e levar todos os ensinamentos para o resto nas nossas vidas como profissionais. É um momento que abre nossos horizontes e amplia nossos pensamentos”, afirma Angela Lima, estudante do 2º período do curso de Medicina da Unit.

 Programação da Semana Mundial do Aleitamento Materno

Além da mobilização no Hospital Santa Isabel, os professores e estudantes participarão, amanhã, dia 02, de encontro com gestantes para apoiar, manter e proteger o aleitamento materno nas Unidades Básicas de Saúde do Robalo, Atalaia e Coroa do Meio. Já na próxima quinta-feira, 03, as ações prosseguem no Campus Aracaju Farolândia, com mesas redondas e orientações. O projeto se encerra no dia 4, a partir das 14 horas, no Parque da Sementeira, onde mães participarão da “Hora do mamaço”, um ato simbólico em defesa da amamentação.

Compartilhe: