V E S T I B U L A R UNIT
MENU

As competências do Profissional de Educação do futuro é tema de live

Profissionais precisam manter-se atualizados e atentos às demandas do mercado. Para os educadores, a realidade não é diferente.

às 22h04
As competências do Profissional de Educação do futuro
As competências do Profissional de Educação do futuro
Compartilhe:

Por Stefânia Leal e Raquel Passos

O relatório do Futuro do Trabalho na edição de 2020, do Fórum Econômico Mundial, listou 15 habilidades essenciais que os profissionais precisam desenvolver para acompanhar as novas demandas do mercado até 2025. Dentre as habilidades estão a criatividade, a inteligência emocional e o pensamento crítico.

Voltada para o profissional da Educação atento às mudanças, o do Polo Unit EaD Caruaru (PE) promoveu, no último dia 22, um encontro virtual sobre: ‘As competências do Profissional de Educação do futuro’. A especialista em Comunicação Empresarial, com MBA em Gestão de Pessoas, e tutora da Unit EaD, Dilza Mélo, esclareceu dúvidas sobre o tema.

Dilza relembrou o conceito CHA (Conhecimento, Habilidade e Atitude), utilizado na Administração mas que, para ela, pode ser aplicado em qualquer profissão, inclusive na área da Educação. “Todo profissional precisa focar no CHA. Por isso, ele necessita de conhecimento para desenvolver suas habilidades. É importante que o profissional tenha atitude”, explica.

A professora tutora propõe também que seja feita uma reflexão acerca das habilidades do futuro e acredita que na Unit, tanto a instituição, quanto o corpo docente, proporciona ao aluno os conhecimentos de mundo, devido à junção de teoria e prática. “Então, de certa forma, eu fico muito feliz porque não vejo disparidade entre as coisas. Quando a gente vê essa aspiração de futuro e olha para a nossa realidade, observamos que não estamos distantes, é só uma questão de desenvolvimento”.

A professora Dilza Mélo chama a atenção ainda para a necessidade do educador transformar as dificuldades em oportunidades, fazendo uso dos conhecimentos tradicionais aliados às novas tecnologias. A tutora também ressalta a importância de atentar-se às exigências comportamentais na hora de se qualificar. 

“Diante de uma incerteza e de tanta mudança, é preciso investir no ‘meu’ conhecimento, investir no ‘meu’ desenvolvimento enquanto pessoa. Se eu tenho uma pesquisa aprofundada a nível mundial que diz que será exigido do profissional dos próximos cinco anos mais competências comportamentais do que técnicas, eu  preciso levar isso em consideração e investir em mim enquanto pessoa”, completa.

A live foi transmitida pelo canal do YouTube da Universidade Tiradentes, no último dia 22.

Compartilhe: