V E S T I B U L A R UNIT
MENU

As tendências da arquitetura para 2022

Praticidade, elementos naturais e móveis multifuncionais. Essas são algumas das tendências para a arquitetura e decoração em 2022.

às 11h27
Imagem: Freepik
Imagem: Freepik
Compartilhe:

Como disse a menina Dorothy no clássico do cinema O Mágico de Oz, “não há lugar como nosso lar”. Todo o aprendizado dos últimos dois anos mostrou que a casa é um lugar em que se deve ter prazer em ficar. As tendências para a arquitetura e o design de interiores em 2022 são um reflexo disso.

Conforto, elementos naturais e cores neutras devem influenciar a escolha dos móveis e objetos decorativos. Os tons neutros na decoração dão a impressão de conforto e aconchego. Também é muito mais difícil enjoar dessas tonalidades. Algumas pessoas preferem tons vibrantes, mas a neutralidade característica do minimalismo continuará predominando.

Branco, creme e cinza são algumas dessas cores. Na pintura das paredes, elas trazem a sensação de espaços mais amplos, além de leveza e calmaria. Então, para quem tem uma rotina agitada, essa é a melhor opção. Não quer tudo de uma tonalidade só? Escolha um objeto, móvel ou uma parede para ser o seu ponto colorido no ambiente.

Os materiais mais naturais, como madeira, pedra e palha, e o uso de plantas, também estarão em alta. Grande aliada dessas escolhas será também a iluminação. Tudo isso trará uma aproximação com a natureza, principalmente para quem mora em pequenos apartamentos.

É possível tornar uma casa ainda mais aconchegante com o uso de peças que remetem a histórias de família e memórias afetivas. Para isso, é só escolher móveis e objetos com uma “pegada” retrô ou até mesmo reaproveitar antigos utensílios, que por si só carregam lembranças.

Passar um tempo a mais dentro de casa pode ser inquietante se você fizer as escolhas erradas. Acima de tudo, siga seu coração e o seu estilo próprio, mas se precisar de uma ajuda, é sempre bom ter um arquiteto ou designer de interiores por perto.

 

*Com informações de Persol, Metropoles e Vogue.

 

Leia também: Como a pandemia ajudou a ressignificar os lares brasileiros

Compartilhe: