V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Centenário de Joel Silveira: acervo contempla mais de 6 mil itens

Acervo que conta a história do jornalista sergipano Joel Silveira seria doado pela família à Biblioteca Nacional, no RJ, mas foi destinado à Unit

às 20h31
Espaço Joel Silveira estará situado no segundo piso da Biblioteca Central, campus Farolândia
Espaço Joel Silveira estará situado no segundo piso da Biblioteca Central, campus Farolândia
Espaço Joel Silveira será inaugurado no próximo dia 15
Compartilhe:

Por Raquel Passos

O jornalista e escritor natural de Lagarto (SE), Joel Silveira, completaria cem anos em 28 de setembro. Com mais de 60 anos de jornalismo, atuou nos principais veículos de Comunicação do Brasil e vivenciou momentos históricos durante a censura, à época da ditadura militar. Assim, escreveu livros que são considerados raros, produziu obras especiais em parceria com grandes nomes da literatura brasileira, a exemplo de Carlos Drummond de Andrade.

Com mais de seis mil itens, todo acervo será disposto no Espaço Joel Silveira, que inaugurará no dia 15, às 17h, na Biblioteca Jacinto Uchôa de Mendonça, da Universidade Tiradentes, situada no campus Farolândia, em Aracaju. A coleção seria doada pela família à Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro.

A solenidade de inauguração do espaço começará às 17h, com missa em ação de graças no terraço da biblioteca da Unit. A partir das 18h, acontecerá solenidade em homenagem aos 100 anos do nascimento de Joel Silveira com a presença da filha, Elisabeth Silveira; do neto Rodrigo Silveira Monte; e do jornalista, amigo e contemporâneo de Joel, Zevi Ghivelder.

O acervo

Toda sua história está organizada em um acervo com cerca de 6 mil exemplares, dentre eles, suas publicações de autoria consideradas raras, obras especiais em parceria com grandes nomes da literatura brasileira, como Manoel Bandeira e Rubem Braga; e uma coleção preciosa em parceria com Carlos Drummond de Andrade que até então só tinha na Biblioteca Nacional.

Joel Silveira

Nasceu em Lagarto, em 1918 e foi para o Rio de Janeiro em 1937, onde se destacou como jornalista e escritor. Tem hoje cerca de 40 livros publicados. Foi agraciado com o Prêmio Machado de Assis, o mais importante da Academia Brasileira de Letras, em 1998, pelo conjunto de sua obra. Foi Também ganhador dos prêmios Líbero Badarô, Esso Especial, Jabuti e Golfinho de Ouro.

Seus mais de 60 anos de carreira contabilizaram passagens por diversas redações do país e ocupou inúmeros cargos. Seu primeiro emprego foi no semanário Dom Casmurro, depois foi repórter e secretário da revista Diretrizes, escreveu também para os Diários Associados, Última Hora, O Estado de S. Paulo, Diário de Notícias, Correio da Manhã e Manchete. À época, foi escolhido por Assis Chateaubriand, dos Diários Associados, para ser correspondente de guerra junto à Força Expedicionária Brasileira.

Com informações da Global Editora

Compartilhe: