V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Colóquio Educação Sem Fronteiras tratou sobre os rumos da pesquisa brasileira

Presidente da CAPES esteve esta sexta-feira em Aracaju e destacou os Programas de Pós-Graduação da Universidade Tiradentes e da Universidade Federal de Sergipe como essenciais para o desenvolvimento do Estado e do País

às 23h40
Palestra do presidente da CAPES foi concorrida
Palestra do presidente da CAPES foi concorrida
Presidente da CAPES, professor doutor Anderson Ribeiro Correia
Dentre as autoridades presentes, o reitor da UFS, professor Ângelo Roberto Antoniolli, reitor da Unit, professor Jouberto Uchôa de Mendonça e o secretário de estado da Educação, professor Josué Modesto Subrinho
Membro do Conselho Nacional da Educação, Mozart Neves, também proferiu palestra
Reitor da Universidade Federal de Sergipe, professor Ângelo Roberto Antoniolli
Reitor da Unit, professor Jouberto Uchôa de Mendonça
Colóquio Educação Sem Fronteiras
Compartilhe:

Por Raquel Passos

Nos últimos meses, a agência federal que investe na pós-graduação e regulamenta a pesquisa no país, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES –, vem anunciando novas diretrizes de gestão de bolsas consideradas ociosas. O presidente da CAPES, professor doutor Anderson Ribeiro Correia, esteve em Aracaju nesta sexta-feira, 6, para ministrar palestra no Colóquio Educação sem Fronteiras à convite da Universidade Tiradentes –  Unit.

Com o tema ‘Pós-graduação, Educação básica e Formação de Professores – Oportunidades e Sinergias’, o gestor da CAPES apresentou dados que justificam o contingenciamento anunciado. “Estamos fazendo um ajuste e aqueles programas que não alcançaram boa produtividade, não estão sendo renovados. Mas isso representa apenas 6% das bolsas de Pós-Graduação do País. Ou seja, os outros 94% que estão com produtividade estão sendo renovados”, explica professor doutor Anderson Correia.

Segundo ele, se a situação econômica do país evoluir, não haverá mais cortes e os que foram feitos, podem até ser revistos. “Vamos acompanhar o desenrolar dos acontecimentos, pois se tivermos bons resultados políticos no Congresso e novas reformas, conseguiremos, eventualmente, rever essas medidas e retornar ao que era antes”, afirma o presidente da CAPES.

Durante sua palestra na Unit, o professor doutor Anderson Ribeiro Correia apresentou dados animadores sobre a pesquisa de qualidade em Sergipe e também anunciou os principais desafios da CAPES para o futuro. São eles: desenvolver uma avaliação multi-dimensional que contemple as características heterogêneas das universidades; alocar os recursos aos programas mais estratégicos e de maior impacto; maior aproximação com o setor produtivo; e promover maior internacionalização dos programas de pós-graduação.

O reitor da Universidade Tiradentes, professor Jouberto Uchôa de Mendonça, acredita na união de esforços entre as duas únicas universidades de Sergipe para continuar contribuindo com a ciência no Estado. “Não existiria Unit se não existisse a UFS; eu mesmo sou fruto dela. Então é muito gratificante saber que os indicadores da CAPES são positivos para Sergipe justamente por conta dos esforços que realizamos de forma conjunta”, conta.

Para o reitor da Universidade Federal de Sergipe, professor Ângelo Roberto Antoniolli, é um prazer compartilhar, historicamente, produção do conhecimento com a Universidade Tiradentes. “Muitos pesquisadores das duas instituições se unem em prol do conhecimento há anos. É por isso que os indicadores de Sergipe, na pesquisa, vão bem e têm ganhado destaque nacional. Unit e UFS são parcerias na construção de um Sergipe melhor, pois são as universidades responsáveis por este desenvolvimento. É uma honra poder levar a pesquisa sergipana para o nosso Instituto em Boston, pois a internacionalização é importante”, avalia.

Segundo o presidente da CAPES, a pesquisa coloca a indústria nacional em um patamar internacional. “Além disso, coloca o desenvolvimento do país como prioridade e o permite alcançar o desenvolvimento de primeiro mundo. Só a ciência, a educação de qualidade e a transformação disso em tecnologia que conseguirão fazer o país crescer”, contou.

Contingenciamento

Como os seis Programas de Pós-Graduação da Unit são considerados excelentes – quatro possuem nota 5 e dois são nota 4 – , a IES particular não sofreu contingenciamento. “A Universidade Tiradentes tem crescido bastante, tem criado institutos de pesquisas, tem trabalhado com patentes, com empresas privadas, com cooperação internacional e muito nos orgulha conhecer esse patrimônio brasileiro”, contou o presidente da CAPES.

Pesquisa Unit

A Universidade Tiradentes possui um patamar de destaque em outros programas de pós-graduação Stricto sensu, com cursos de mestrado e doutorado nota 5. É da Unit o primeiro programa sergipano de pós-graduação Stricto sensu na área de Engenharia. O Programa de Pós-graduação em Engenharia de Processos – PEP – atualmente figura entre os melhores do Nordeste e do país com conceito 5 atribuído pela CAPES, órgão que regulamenta a pós-graduação brasileira. 

Além do PEP, há o Programa em Biotecnologia Industrial (PBI) que seleciona alunos empreendedores e possui interações com empresas em diversas áreas por meio do seu corpo docente, refletindo em um elevado número de patentes. O Programa de Educação (PPED) foi o primeiro entre instituições particulares do Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país e tem linhas de pesquisa em Educação e Comunicação e Educação e Formação Docente. O Programa em Saúde e Ambiente (PSA) está entre os 10% dos Programas da área interdisciplinar com nota 5 no Brasil. Este conceito atribuído pela CAPES significa nível de excelência nacional e apenas 20% dos Programas do país estão neste patamar.

Já o Programa de Direitos Humanos (PDH), com apenas um ciclo avaliativo pela Capes, possui nota 4, representando um desempenho muito bom com destaque no cenário regional. O Programa tem diversos projetos de cooperação nacional e internacional. A Unit em Sergipe também é membro fundadora com atuação efetiva da Rede Nordeste de Biotecnologia – Renorbio –, doutorado avaliado com nota 5 pela CAPES.

Para mais informações, acesse esse site.

Compartilhe: