V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Conheça um pouco da rotina do profissional que trabalha no Samu

O enfermeiro intensivista e professor da Unit, Luan Araújo, comenta um pouco do dia a dia e da importância do profissional de enfermagem que atua no Samu

às 10h28
Compartilhe:

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, mais conhecido como o Samu 192, tem como objetivo chegar precocemente à vítima e prestar assistência em alguma situação de urgência ou emergência. Entre os profissionais, o serviço conta com médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e condutores socorristas. 

Para conhecer a rotina, o enfermeiro intensivista e professor da Universidade Tiradentes (Unit), Luan Araújo, conta um pouco do dia a dia dos profissionais que atuam no Samu. 

“Existem diferentes bases em Aracaju e também no interior. O profissional, ao chegar, precisa passar o código, que é chamado de QRA, ou seja, o nome de identificação do profissional. Ao passar a informação via rádio, a central fica sabendo quais são as equipes que já estão completas e podem sair para os respectivos atendimentos. Nós temos a equipe de Suporte Básico e a equipe de Suporte Avançado”, comenta. 

O docente da Unit destaca o papel do profissional de Enfermagem no Samu. “O profissional de enfermagem compõe as duas equipes. A equipe de suporte básico é composta pelo condutor e por um técnico de enfermagem. Já a de suporte avançado é composta por quatro integrantes: médico, técnico de enfermagem, enfermeiro e condutor”, explica. 

Luan Araújo enfatiza ainda a importância da base descentralizada do Samu, instalada no anexo ao campus Farolândia da Universidade Tiradentes. 

“A presença dessa base descentralizada acabou ocasionando um ganho mútuo tanto para sociedade de um modo geral como para os acadêmicos, porque eles acabam participando do atendimento de acordo com a escala. Temos acadêmicos do curso de Enfermagem e de Medicina”, salienta o professor.

“Os estudantes participam ativamente das ocorrências, vão nas viaturas e acabam compartilhando não só a vivência, mas também tiram dúvidas, conversam sobre os protocolos, atualizações e isso acaba sendo muito interessante e um ganho tanto para as equipes como para os alunos que estão nesse processo de construção e desenvolvimento de habilidades tão esperadas durante todo esse processo da universidade”, acrescenta. 

Durante a pandemia do novo coronavírus, o Samu também desempenhou uma função muito relevante. “O serviço sofreu uma sobrecarga muito grande, porque a quantidade de pacientes que precisaram ser removidos dos hospitais regionais para Aracaju e para as unidades de Terapia Intensiva foi enorme”, enfatiza.

“Os profissionais foram extremamente importantes e decisivos nesse momento de pandemia, para conseguir ofertar um serviço adequado e de qualidade para população”, finaliza. 

Veja também: Enfermagem: ética e cuidado humanizado em prol da saúde

Compartilhe: