V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Doutoranda em Engenharia de Processos participará de projeto na Califórnia

A doutoranda Tamires Menezes foi selecionada com uma bolsa pela Fulbright Brasil para o último ano do doutorado nos Estados Unidos.

às 11h30
A doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos da Universidade Tiradentes (PEP/Unit), Tamires Menezes.
A doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos da Universidade Tiradentes (PEP/Unit), Tamires Menezes.
Compartilhe:

A doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos da Universidade Tiradentes (PEP/Unit), Tamires Menezes, foi contemplada com uma bolsa pela Fulbright Brasil para realizar o último ano de doutorado com o grupo de pesquisa do professor Jeffrey Reimer na Universidade da Califórnia Berkeley, nos Estados Unidos.

Segundo ela, a experiência contribuirá com a carreira. “Para mim é uma oportunidade sem igual profissionalmente e pessoalmente, é uma honra. Estou focada na vivência em Berkeley, aproveitar a oportunidade de conviver com profissionais referências mundiais, e encontrar resultados para o projeto que desenvolvo: desidratação de gás natural contendo altos teores de CO2, utilizando MOFs (estruturas metalorgânicas)”, disse.

“Além disso, focada em aproveitar a experiência de conhecer outro país, diferentes culturas e pessoas. Para um futuro, o desejo de continuar na área da pesquisa e fortalecer os estudos de materiais em nosso país”, acrescentou Tamires.

O processo seletivo para a bolsa aconteceu em três etapas. A primeira delas foi a análise de diploma, histórico, certificados, cartas de documentação e currículo do candidato, entre outros documentos. Depois disso, Tamires ainda passou pela análise do Study/Research Objective e por fim, da última etapa com uma entrevista em português e inglês sobre a carreira acadêmica, projetos realizados no Brasil e porquê escolheu a universidade americana.

“Quando me inscrevi no processo não acreditava realmente que seria possível. Além da UC-Berkeley ser uma das melhores universidades do mundo, foi lá que surgiu as estruturas que estudo, ainda, o processo Fulbright é intenso, em outro idioma e concorrido, um dos mais prestigiados programas de incentivo à educação intercultural do mundo. Porém, fica o incentivo que é possível para todos nós”, contou a doutoranda.

Trajetória

Desde antes da graduação Tamires já tinha afinidade com a ciência. Já no curso superior de engenharia química, ela participou de Iniciação Científica (IC), mas foi no mestrado da Unit que pode se desenvolver ainda mais na área. Com isso, ela participou de congressos nacionais e internacionais, entre eles o International Conference on Metal Organic Frameworks and Porous Polymers (Euromof), que acontece na França. 

“É o maior congresso mundial do material que desenvolvo, as MOFs (redes metalorgânicas). Assim, além de impulsionar minha atração pela pesquisa, ficou evidente para mim o impacto em diversos campos que nossa pesquisa, realizada aqui no laboratório, poderia ter”, revelou.

A experiência de fazer ciência fora do país surgiu com o incentivo dos professores do PEP/Unit. “Essa vontade foi impulsionada pela pesquisa de alto nível que desenvolvemos, o incentivo dos professores Cláudio Dariva, Elton Franceschi, Gustavo Borges, Cesar Santana, Silvia Egues e Juliana De Conto, dos professores participantes do projeto Klebson Silva e André Ramos, e em especial o incentivo do orientador Cesar Santana que sempre acreditou na minha capacidade e na estrutura que desenvolvo, além de ser responsável pela ponte com o professor Jeffrey Reimer da UC-Berkeley”, contou.

Atualmente, Tamires faz parte do Núcleo de Estudos em Sistemas Coloidais (NUESC) e do Laboratório de Síntese de Materiais e Cromatografia (LSinCrom), do Instituto de Tecnologia e Pesquisa (ITP), na Unit.

 

Leia também: Egressa da Unit defende tese em Universidade de Madrid

 

Compartilhe: