V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Equipe Cabuto Aerodesign se prepara para edição SAE Brasil AeroDesign 2020

Equipe Cabuto Aerodesign almeja classificação entre os melhores na Categoria Regular na competição do SAE Brasil AeroDesign

às 19h56
Membros da equipe Cabuto
Membros da equipe Cabuto
Compartilhe:

Isaac Gonçalves Leite é um dos alunos de Engenharia Mecatrônica da Universidade Tiradentes – Unit – e um apaixonado pelo desenvolvimento das atividades práticas daquilo que escolheu como profissão. Para o acadêmico, o ingresso na equipe Cabuto Aerodesign representou uma oportunidade para aplicar os conhecimentos adquiridos em sala de aula.

A oportunidade para ele e para os demais 22 colegas que hoje compõem o time surgiu com a inserção da Cabuto no torneio de acesso realizado no ano passado dentro da competição SAE Brasil AeroDesign.

A edição 2020 do evento, prevista para acontecer em 28 de outubro em São José dos Campos (SP) contará mais uma vez com a participação da equipe Cabuto, concorrendo na categoria Regular. São três categorias: Micro, Regular e Advanced.

“O nosso objetivo é classificar o projeto entre os três melhores trabalhos na categoria Regular, dentro da competição”, sugere Isaac. Ele e seus colegas de equipe concorrem com a apresentação de uma aeronave construída especialmente leve para voar carregando o maior peso por ela suportado.

Igor Libertador Silva, professor e coordenador do Projeto Cabuto Aerodesign, lembra que a equipe Cabuto criada em 2016 já participa da competição há três anos. Essa é a segunda vez cuja participação presencial permite à equipe se destacar em relação aos demais trabalhos apresentados.

“Ano passado ficamos em 3º lugar no torneio de acesso e daí conseguimos uma vaga no torneio presencial que ocorre em outubro”, explica Igor. Ele faz um comparativo da categoria regular à categoria da Fórmula Um.

As aeronaves que concorrem nessa Categoria Regular adquirem maior pontuação quando apresentam a capacidade de carregar mais peso de forma inversamente proporcional à sua leveza.

“Nossa previsão é superar em duas vezes o peso carregado quando da última competição”, complementa o professor Igor.

Compartilhe: