V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Espaço Joel Silveira conta a história do maior jornalista literário brasileiro

O Centro instalado na Biblioteca Central da Unit guarda as memórias do sergipano que imprimiu sua marca na história do jornalismo do Brasil

às 15h34
Compartilhe:

Em 15 de outubro de 2018, ano do centenário de Joel Silveira, a Universidade Tiradentes inaugura um espaço dedicado ao jornalista sergipano que fez história na imprensa brasileira.  Por meio do acervo pessoal, a exposição permanente “Tempo de Contar”, apresenta seu acervo pessoal e livros publicados. A curadoria da exposição foi de Maria Eveli Pieruzi e Sayonara Viana.  

“São obras consideradas raras e especiais, nas diversas áreas do conhecimento: história, literatura, artes e principalmente Jornalismo. Uma fonte de pesquisa do maior Jornalista literário considerado ‘testemunha da história’”, ressalta a gestora da Biblioteca Central do campus Unit Farolândia, Gislene Maria da Silva Dias.

Na inauguração do espaço dedicado à memória e legado do sergipano, estudantes dos cursos de Comunicação Social produziram este mini-documentário sobre vida e obra do repórter de guerra, Joel Silveira, em comemoração ao seu centenário.

Trajetória

Joel Silveira, nascido em Lagarto (SE), iniciou carreira no jornalismo aos 14 anos no jornal “A Voz do Operário”, em Aracaju.  Em 1937, aos 19 anos, desembarcou no Rio de Janeiro onde conviveu com intelectuais e artistas como Carlos Drummond de Andrade, Paulo Mendes Campos, Manuel Bandeira e Rubem Braga. 

Dono de um estilo único, seus textos envolviam e emocionavam o leitor, marcando uma nova era do jornalismo seguindo uma tendência norte americana que empregava recursos da literatura nos textos.  Em 60 anos de carreira, trabalhou em grandes veículos de comunicação, a exemplo de “O Cruzeiro”, “Diretrizes”, “Última Hora”, “O Estado de S. Paulo”, “Correio da Manhã” e revista “Manchete”. Como repórter especial atuou como correspondente de guerra, na Itália. 

De Assis Chateaubriand magnata das comunicações no Brasil entre o final dos anos 1930 e início dos anos 1960, dono dos Diários Associados, maior conglomerado de mídia da América Latina, ganhou o apelido de “a víbora”.

Lançou mais de 40 livros, recebeu prêmios como Líbero Badaró, Esso Especial, Jabuti, Golfinho de Ouro e Machado de Assis, o mais importante da Academia Brasileira de Letras, em 1998, pelo conjunto de sua obra. 

Joel Silveira faleceu em agosto de 2007, no Rio de Janeiro (RJ).

Fotos: Acervo Unit

 

Leia também:

Joel Silveira ganha espaço na Biblioteca da Unit e tem história perpetuada

Compartilhe: