V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Estamos preparados para competitividade?


às 15h03
Compartilhe:
Foto: estudioclicka.com

Foto: estudioclicka.com

Por Osvaldo Moz*

Para quem necessitar locar uma plataforma elevatória nos próximos meses, já adianto que deve ter muita paciência e um plano extra para o prejuízo ser o menor possível, pois não há disponibilidade em nosso Estado. Temos que comemorar o aquecimento da economia e o desenvolvimento de Pernambuco e sou muito otimista nesse sentido, mas não podemos deixar de nos preocupar com o bem mais precioso que temos em qualquer segmento: nossa mão de obra!

Em todos os níveis hierárquicos ainda precisamos dedicar tempo, planejamento e investimentos na formação, desenvolvimento e principalmente na retenção de talentos. Uma seleção assertiva, com base em ferramentas amplamente utilizadas nas grandes empresas multinacionais, deve ser utilizada nas micros, médias e grandes empresas locais como um primeiro e importante passo para garantir qualidade no quadro de pessoal. Já se foi o tempo do teste psicotécnico e “provinhas“ de matemática e português!

Contratado, o colaborador (nunca empregado!) deve saber exatamente o quê e como executar seu trabalho com qualidade. Quantos casos têm mostrado, em meu dia a dia, pessoas capazes, porém mal direcionadas, gerando prejuízo para seu negócio e seu próprio futuro como profissional. Quando cito “para seu negócio”, estou utilizando o termo correto e de que o mundo empresarial mais necessita hoje: pessoas que tratam a empresa como se fosse sua, espírito empreendedor sem mesmo ser dono da empresa.

Estando bem direcionado, o próximo e importante passo é o aprimoramento contínuo, atualização de conhecimento, inovação e iniciativa, esta última devendo partir sempre do colaborador, mas que também precisa constar do orçamento anual da empresa. Treinamento e reciclagem são necessários para este mundo que muda e inova em velocidade crescente que nunca imaginávamos anos atrás. Fica aqui uma dica importante sobre esse tipo de investimento em capacitação e desenvolvimento profissional, pois a matemática é simples: quando investimos dois, ganhamos três e deixamos de gastar quatro quando por apenas por um mais perdemos um talento para um concorrente, ou pior, perdemos clientes por não termos uma equipe bem preparada.

O último passo que também acredito ser fundamental e com o qual tenho recebido bons retornos é a motivação constante da equipe. Sem paixão pelo trabalho não há bons resultados e superações. A motivação pode ser fomentada de diversas formas e sem altos custos; basta avaliar, pesquisar e saber o que motiva cada pessoa a produzir mais e melhor em seu ambiente de trabalho. Há casos em que um simples “bom-dia” de um gerente causa uma grande motivação no auxiliar de produção, e um agradecimento do chefe por um bom resultado obtido pelo assistente trará resultados ainda melhores.

Há saída, recursos disponíveis e tempo para pensarmos e agirmos de forma correta e tornarmos nosso Estado excelência na prestação de serviços e qualidade de mão de obra em todos os segmentos, mas vamos começar já, para o trem sempre parar em nossa estação e entregar novas oportunidades de negócios.

* Osvaldo Moz Junior é graduado em Publicidade e Propaganda pela Universidade Metodista de São Paulo e pós-graduado em Comércio Exterior pela Universidade Federal de Pernambuco. É fundador e presidente do Grupo de Estudos da Logística em Pernambuco (Gelpe) e atua como gerente de Operações do Grupo TPC. osvaldo.moz@grupotpc.com

Compartilhe: