V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Falsa vaga de emprego faz três vítimas a cada quatro pessoas

Golpes que envolvem falsos anúncios de vagas de emprego se tornaram comuns na internet; fique atento e saiba como identificá-los

às 21h20
A dica é verificar a procedência e a veracidade do site, bem como o tipo de vaga de emprego oferecida, antes de preencher as informações (Unsplash)
A dica é verificar a procedência e a veracidade do site, bem como o tipo de vaga de emprego oferecida, antes de preencher as informações (Unsplash)
Compartilhe:

Entre os dias 20 de outubro e 1° de novembro de 2021, foi constatado que três em cada quatro profissionais já foram vítimas de falsas vagas de emprego, ao responderem a anúncios na internet. O levantamento foi realizado pela consultoria Heach Recursos Humanos, que entrevistou 800 candidatos. Já em relação à quantidade de vezes que foram enganados, 401 candidatos foram vítimas três vezes ou mais, o que representa 66,4% dos que já responderam a esse tipo de anúncio.

Infelizmente, muitas empresas divulgam falsas vagas de emprego com o objetivo de arrecadar leads, que são informações sobre os candidatos, como endereço, idade, renda, experiências, para que possam vender esses dados. O que é muito ruim, porque perdem a credibilidade em outros processos sérios”, explicou a gerente do Unit Carreiras, Janaína Machado.

Um dos primeiros passos para identificar se a vaga de emprego que está sendo ofertada é falsa, é procurar identificar a empresa. “É preciso ir ao site deles, pesquisar, verificar qual é o trabalho deles, o tipo de serviço prestado por eles. Isso porque, normalmente, as grandes empresas divulgam suas vagas não apenas nas redes sociais delas, mas no site corporativo. Então, é sempre importante conferir as vagas antes de enviar o currículo. Pois, o candidato pode estar passando para determinadas empresas informações pessoais que são vendidas e utilizadas de maneira indevida”, destacou Janaína.

Ela alerta, ainda, que não se coloca números de documentos em currículo, a exemplo do número do RG, CPF e carteira de habilitação. “Esses dados são estritamente pessoais. Não podem ser colocados no currículo porque muitos golpistas aproveitam eles para a aplicação de fraudes. E isso é muito, muito sério. Portanto, se solicitarem esses dados, não dê porque você vai estar, provavelmente, caindo em um golpe”, orientou.

Esse alerta para as pessoas que procuram emprego é, realmente, muito importante. Já que, neste período de crise mundial sanitária e econômica em que a população está vivenciando, existem muitas pessoas desempregadas e desesperadas para conseguir trabalho, recuperar a renda e garantir o sustento da família. “Por isso, reforço que é preciso ficar muito atento na hora de procurar emprego. Os golpistas estão aí, infelizmente”, frisa a gerente. 

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: