V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Fisioterapia para um envelhecimento ativo e saudável

Tratamento melhora não somente as dificuldades motoras, mas também as funções cognitivas e psicológicas

às 14h39
Compartilhe:

A longevidade e o envelhecimento da população são fenômenos que acontecem no Brasil e no mundo. Estima-se que, até 2025, haverá mais de 30 milhões de pessoas idosas no país, o que significa 13% da população brasileira com idade superior a 60 anos. 

O fato estimula a criação de diversas políticas de melhoria da qualidade de vida deste público. Aliado a isso, a busca por um envelhecimento ativo vai favorecer a manutenção da saúde da população idosa. A inatividade física na terceira idade é um fator do desenvolvimento de doenças crônicas e incapacitantes.

O processo natural e continuado do organismo que acontece com o passar dos anos se caracteriza pela diminuição das funções fisiológicas, bem como das capacidades físicas. Além disso, é comum a perda de força, da flexibilidade, da velocidade, da massa óssea, redução da massa muscular e aumento da gordura corporal.

Com o passar dos anos, estas alterações inevitáveis podem dar origem a problemas que tornam os idosos dependentes de terceiros para conseguir realizar tarefas cotidianas. A perda do equilíbrio, comprometimento do caminhar, por exemplo, viram impedimentos para coisas simples do dia a dia.

Fisioterapia gerontológica 

Atividades de fisioterapia são uma alternativa para impedir quadros incapacitantes na terceira idade. Auxilia tanto na prevenção das doenças causadas pelo envelhecimento como na promoção da sua independência e qualidade de vida. Seus métodos promovem saúde e reabilitação, por meio de ferramentas que vão ajudar a diminuir as dificuldades dos idosos e as complicações da idade. 

Praticar a fisioterapia nesta fase da vida é importante, pois ela conserva a função motora e cognitiva do idoso e atrasa possíveis incapacidades próprias do processo de envelhecimento. Além disso, trata alterações e sintomas que já tenham se instalado, reabilitando funcionalmente o idoso para as atividades de vida diária. 

Os exercícios terapêuticos devem ser adequados a cada indivíduo. São práticas como alongamentos e exercícios de fortalecimento, mobilização passiva e ativa, treinos de marcha e equilíbrio, entre outros. Os principais benefícios da prática são a melhoria na locomoção e no equilíbrio, o aumento da força muscular, o ganho de coordenação e mais independência nas atividades rotineiras. 

Um bom tratamento fisioterápico melhora não somente os sintomas e as dificuldades motoras, mas também as funções cognitivas e psicológicas da pessoa idosa. Com a melhoria dos movimentos, muda também a maneira de enxergar e aceitar os processos naturais e decorrentes do envelhecimento, tornando a vida mais alegre como ela é.

São as escolhas relacionadas ao estilo de vida que vão refletir a condição nessa fase da vida, na qual todos os indivíduos terão que passar um dia. A inatividade deve ser enfrentada em todas as fases etárias para um envelhecimento mais saudável e tranquilo.

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: