V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Jovens recebem aulas de reforço através do Solipetro

Projeto desenvolvido por estudantes de Engenharia de Petróleo atende cerca de 40 crianças toda quinta-feira, na Casa de Dona Etani, no Rosa Elze

às 18h50
Compartilhe:
Jovens da Casa Dona Etani aprovam o projeto

Jovens da Casa Dona Etani aprovam projeto Solipetro

Toda quinta-feira à tarde, a Casa Dona Etani se torna um centro de estudos para aproximadamente 40 crianças e adolescentes moradores do Bairro Rosa Elze, localizado em São Cristóvão. Lá, os jovens tiram dúvidas de Matemática, Física e Química durante as aulas de reforço do projeto Solipetro. A atividade existe há pouco mais de um ano e é desenvolvida por estudantes do curso de Engenharia de Petróleo da Universidade Tiradentes.

Rafael Santana cursa o terceiro ano do ensino médio e é um dos jovens que participam semanalmente do Solipetro. Ele confessa que o seu desempenho na escola melhorou após frequentar as aulas de reforço. “Tinha muita dificuldade em Matemática e agora ficou mais fácil entender os conteúdos. Gosto muito da forma como eles ensinam”, conta Rafael.

A ideia para criação do projeto surgiu de uma visita feita pelo grupo de estudantes do curso há três anos. “No final de 2010, fomos à Casa de Dona Etani doar alguns brinquedos para as crianças. Conhecemos a família e tivemos a ideia de dar aulas de reforço para os jovens. Damos preferência às aulas de Matemática, Física e Química, porque é nossa base em Engenharia. Mas, a depender da necessidade deles, ajudamos nas outras disciplinas. Não existe uma palavra que descreva a sensação de estar ajudando ao próximo, de saber que isso fará diferença na vida de uma pessoa”, explica o estudante do 8º período de Engenharia Petróleo e um dos pioneiros do projeto, Milson dos Santos Barbosa.

Etani Souza (de rosa) acompanhada dos voluntários do projeto Rafael Barreto, Moema Andrade e Milson Barbosa

Etani Souza (de rosa) acompanhada dos voluntários do projeto Rafael Barreto, Moema Andrade e Milson Barbosa

Livros, cadernos e quadro branco para anotações são alguns dos itens que auxiliam no processo de aprendizagem dos jovens. Mas, a ajuda dos estudantes de Engenharia de Petróleo para estimular o aprendizado das crianças vai além das aulas de reforço na Casa de Dona Etani. “Também incentivamos eles a estudarem em casa”, acrescenta a estudante do 5º período, Moema Andrade.

Quem aprova a iniciativa dos universitários é Etani Souza Fontes, responsável pelo espaço. Segundo ela, o projeto tem sido um diferencial na vida das crianças. “É um estímulo para eles. Toda semana as crianças esperam ansiosas pelas aulas”, afirma.

Atualmente, dezenove alunos participam do projeto. Mas a repercussão do Solipetro tem sido tão positiva que a tendência é aumentar o número de voluntários nas aulas de reforço. Um grupo de alunos do curso de Engenharia Civil da instituição está interessada em colaborar no projeto. “Falamos sobre o Solipetro durante a semana das Engenharias realizada na Unit e os estudantes de Engenharia Civil se interessaram. Estamos conversando com o grupo para dar início às atividades”, informa Milson.

Para a coordenadora dos cursos de Engenharia de Petróleo e Tecnologia em Petróleo e Gás da Unit, Elayne Emília Santos Souza, a atividade mostra o papel social que os estudantes têm com a comunidade. “O projeto foi criado para ajudar a comunidade externa a desmistificar o mito da dificuldade na aprendizagem das disciplinas exatas, por exemplo, a matemática. Por ser um projeto solidário, ganhamos com a satisfação em ver a felicidade das crianças e adolescentes em ter um apoio nos ensinamentos nas resoluções de questões e/ou problemas. Tentamos mostrar que temos um papel social que vai além do universo acadêmico, da construção de projetos, análise de fluxogramas, entre outros. O aprendizado das disciplinas exatas pode se tornar uma diversão, desde que façamos com muito amor e carinho. Sabemos que é o início e podemos ajudar ainda mais”, acredita a docente.

Fotos: Marcelo Freitas

Compartilhe: