V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Livro serve como ferramenta de resgate familiar

O resgate histórico da família do importante fotógrafo italiano João Firpo é possível graças a publicação de obra pela Unit

às 23h33
A pesquisadora Lúcia Marques e o professor Uchôa na noite de lançamento do livro que resgata o passado da família Firpo
A pesquisadora Lúcia Marques e o professor Uchôa na noite de lançamento do livro que resgata o passado da família Firpo
Livro é a fonte de descobertas do passado
Compartilhe:

O livro ‘Educadores de Sergipe à Luz da República no período de 1911 a 1971’ lançado em abril de 2017 pelos professores Jouberto Uchôa de Mendonça e Lúcia Marques Cruz e Silva rende bons frutos. O recorte não se trata apenas de um importante período histórico em que a formação básica se deu através dos grupos primários e dos seus eméritos professores.  Mais que isso, a leitura resgatou a história de uma família que, por meio de um dos personagens citados na obra, encontrou a pista certa para a localização de seus antepassados. Foi o que aconteceu com Aroldo Firpo, o pesquisador brasileiro radicado há muitos anos nos Estados Unidos.

“Por intermédio de uma irmã que reside no Rio de Janeiro ele soube do registro, na obra, da existência de uma parente, a professora primária Adélia Firpo. Interessado em reconstituir a árvore genealógica da família, ele chegou até o patriarca João Firpo, a partir de informações que constam no livro”, explica a professora Lúcia Marques satisfeita pela dimensão e pelo resgate histórico alcançados com a publicação. “A reconstituição e descoberta dos laços familiares é feita a partir da biografia da professora Adélia”, complementa a pesquisadora que teve como fonte de informações o senhor Fernando Firpo, residente em Aracaju.

A trajetória do fotógrafo italiano

João Firpo veio de Gênova para o Brasil onde é convidado para a cobertura da instalação da ferrovia no Rio de Janeiro. Após a realização do trabalho ele escolhe a cidade de Maruim para montar casa comercial, estúdio fotográfico e mesmo com o retorno da família para sua cidade de origem, decide permanecer no município onde vem a falecer e ser sepultado.

A comemoração do resgate histórico

Feliz por reencontrar suas raízes o historiador Aroldo Firpo decidiu por reunir os descendentes das 4ª e 5ª gerações de João Firpo em comemoração aos 152 anos de migração do patriarca. A programação alusiva ocorre às 10 horas desse sábado, 18, com a reinauguração do seu mausoléu no cemitério de Maruim, seguida da celebração de uma missa de ação de graças às 11 horas, na Igreja Matriz Senhor dos Passos.

Compartilhe: