V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Mexicana faz mobilidade acadêmica na Unit durante um semestre

A estudante da Universidade de Guadalajara Paola Anahí Rodríguez Sánchez cursa Publicidade e Propaganda em 2022.1 na Unit, em Aracaju (SE).

às 11h32
A mexicana Paola Anahí Rodríguez Sánchez.
A mexicana Paola Anahí Rodríguez Sánchez.
Compartilhe:

A mexicana Paola Anahí Rodríguez Sánchez é uma das estudantes estrangeiras que cursaram o semestre 2022.1 na Universidade Tiradentes. Vinda da Universidad de Guadalajara, no México, por meio da mobilidade acadêmica, ela optou pelo curso de Publicidade e Propaganda, em Aracaju (SE), e viveu experiências enriquecedoras para o autoconhecimento e relacionamento com os professores que vai levar para a vida inteira.

“Sempre sonhei em fazer um intercâmbio, era um dos meus maiores objetivos na vida. Então, vi umas fotos do Brasil e lembro de pensar: ‘como é bonito’ e disse ao meu professor que estava apaixonada pelo Brasil. Então, ele me mostrou que existiam muitas universidades aqui. Quando vi a Universidade Tiradentes, todo o plano de estudos, a praia do lado… bem, me candidatei”, relembra.

No início, a família de Paola estranhou ela escolher um país no qual ela não conhecia o idioma. “A vida é um risco, mas eu disse ‘por alguma razão deve ser Deus que quer que eu vá”, acredita. Juntamente com o colega Edgar Guillermo Leon Ramirez, eles começaram a jornada de documentação e vacinas exigidas para vir ao Brasil.

“Tive um choque cultural quando cheguei, mas os professores são uns amores. Eu realmente acredito que estou levando um dos meus professores favoritos na vida daqui. Então, eu acho que eles são qualificados, sabem o que fazem. Eles conhecem seus assuntos e sabem explicar bem e ter paciência com você mesmo sendo estrangeiro. Adoro as instalações da universidade, se eu pudesse levar a Universidade Tiradentes para Guadalajara, eu levaria”, afirma.

“Eu recomendaria às pessoas irem para o Brasil, irem para a Universidade Tiradentes. Morar em outro país, estudar em outra universidade e conhecer outras pessoas tem sido uma montanha-russo. Aqui experimentei todas as emoções em um período de cinco meses do que experimentei em 24 anos lá no México. Tem sido intenso. Muitos momentos de autoconhecimento e crescimento que você mesmo sente que conseguiu alguma coisa. Por isso, eu acredito que uma troca que qualquer um deve vivenciar para se encontrar”, conclui a estudante.

 

Leia também: Mobilidade acadêmica: oportunidade é voltada para acadêmicos acima dos 18 anos

Compartilhe: